Governador negocia pauta dos caminhoneiros

O governador Luiz Fernando Pezão afirmou hoje que está negociando com lideranças locais e algumas nacionais do movimento nacional dos Caminhoneiros para tentar garantir a normalização do abastecimento no estado. Pezão afirmou hoje que não pretende decretar ponto facultativo no estado, apesar das condições de transporte público no Rio e do desabastecimento de combustíveis e alimentos. O governador espera conseguir o fim da greve com a aprovação do projeto para a redução de ICMs do diesel, que encaminhou à Alerj em regime de urgência e que deverá ser votado na terça-feira:

 

- Vai passar a redução. O problema do Rio e que somos cercados por rodovias federais, o bloqueio dessas rodovias e que é um movimento nacional. Mas estou negociando com as lideranças locais e algumas nacionais. Vamos ver se avançamos hoje.

 

Pezão afirmou que o seu estafe está reunido direto no centro de comando e controle e atendendo todos os pedidos de escolta para garantir os serviços essenciais.

Segundo balanço da Secretaria de Estado de Segurança, a Central de Escoltas realizou desde quinta-feira 103 escoltas. Foram feitos acompanhamentos de caminhões de abastecimentos da Comlurb, Cedae, BRT, Petrobrás, Rio Ônibus, Aeroporto Santos Dumont, Aeroporto Bartolomeu Lisandro (Campos dos Goytacazes), órgãos de saúde, forças de segurança, entre outros.

A Central de Escoltas funciona no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), onde está instalado o Gabinete de Gestão de Crises, conta com a participação da Força Nacional, Forças Armadas, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar.

- Todos os pedidos devem vir com a placa da carreta, o nome e o telefone de contato do motorista - disse o governador.

Agenda do Poder
Todos os direitos reservados - 2013