19/09/2019 16:51

Protesto e confusão durante o exame de Witzel em curso da UFF

imagem

O exame de qualificação de pós-graduação do governador Wilson Witzel foi marcado por confusão entre policiais militares e universitários nesta quinta-feira. Enquanto Witzel realizava o exame, estudantes cercaram o prédio da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis, no campus do Valonguinho, da Universidade Federal Fluminense. Por volta das 15h40, ele deixou o local protegido por seguranças e PMs. A banca de qualificação estava prevista de ser realizada no campus do Gragoatá, no Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, mas a defesa do governador mudou de local para driblar as manifestações. Os estudantes, no entanto, estavam chegaram ao local e tentaram acessar a sala de aula que o governador estava.

A apresentação teve o andar completamente isolado por seguranças, impedindo o acesso de todos. Houve um momento de tensão quando cerca de 30 estudantes tentaram realizar prostestos na escada. Os poucos minutos em que o governador ficou diante do público foram registrados por cânticos de protestos.


Na saída, um grupo de 15 policiais militares auxiliou na escolta para a saída do governador. Em determinado momento, os agentes fecharam as portas de saída das escadas para prender parte do grupo e impedir a circulação deles pelo prédio.

— A gente sabia que ele faria a qualificação do doutorado dele. Queríamos fazer um protesto pelas mortes (de jovens nos últimos dias). Eles chamaram a PM, entraram numa universidade federal. Os estudantes têm direito de circular pela universidade. Eles fecharam a porta da escada e ficamos presos, uns 15 estudantes. Não nos deixaram sair — reclama a estudante de Relações Internacionais, Diana Vidal, de 20 anos.

'