26/04/2019 07:04

Caso Rodrigo Neves: Ex-secretário Domício nega que vá fazer delação

imagem

O ex-secretário de Obras de Niterói, Domício Mascarenhas, que foi solto com o prefeito Rodrigo Neves no último dia 13, após 93 dias preso, através de seu advogado, Paulo Ramalho, nega que esteja negociando delação premiada com o Ministério Público estadual, como informou dias atrás o colunista Lauro Jardim, de O GLOBO. Em ofício encaminhado ontem ao relator do processo no 3º Grupo de Câmaras Criminais do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), desembargador Luiz Noronha Dantas, Ramalho declarou que tudo não passa de especulação.

“Para que essa aleivosa especulação não prospere, deseja o signatário expressar a verdade a partir de duas premissas: uma, não existe possibilidade de delação por parte do acusado, seja porque inocentes não delatam, inventam. Outra, seja porque seu advogado considera que todo delator é um canalha e não precisa de advogado, mas de negociadores”, disse o advogado no documento.

Perguntado sobre possível acordo de delação envolvendo Domício, o MP respondeu que o caso está sob sigilo.Rodrigo, Domício e dois empresários de ônibus, dos consórcios Transnit e Transoceânico foram denunciados em delação premiada do criminoso confesso Marcelo Traça, ex-superintendente do Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Setrerj), no ano passado, o que levou à decretação de prisão preventiva em 10 de dezembro passado do grupo e afastamento de Neves das funções de prefeito.

No último dia 12, pelo placar de 6 a 1, o 3º Grupo de Câmaras Criminais deferiu agravo interposto pelos advogados dos acusados e estes conseguiram a liberdade provisória. Porém, não podem se ausentar do país (nem do estado por mais de oito dias), devem se apresentar à Justiça sempre que convocados e estão proibidos de manterem em contato entre si ou com testemunhas do processo.


A libertação do prefeito Rodrigo Neves (PDT) e sua imediata recondução a Prefeitura para o cargo de prefeito não aconteceu o mesmo com o Paulo Bagueira (SDD) para ele voltar como presidente da Câmara Municipal de Niterói. Ele, que se tornou prefeito na ausência de Neves, ainda não assumiu a sua cadeira de presidente porque ainda não foi encaminhado pela justiça o ofício para que retorne às suas atribuições como vereador o que deve acontecer até quinta-feira (21).

No dia 13 de março, um dia após resultado do Tribunal de Justiça (TJ-RJ), que liberou Rodrigo Neves da prisão, o TJ-RJ emitiu um ofício à Câmara de Vereadores dizendo que o pedetista estava liberado para voltar as suas atribuições. Entretanto, o mesmo não aconteceu com Bagueira.

'