22/07/2019 04:30

Câmara de Itaguaí abre comissão processante para cassar Charlinho

imagem

A Câmara Municipal de Itaguaí aceitou, semana passada, denúncia contra o prefeito Charlinho por irregularidades no fundo de previdência municipal. Por 10 a 7, os vereadores abriram também Comissão Processante para apurar o caso, cujo resultado poderá levar à cassação do mandato do prefeito. Após a votação, o presidente da Câmara,, Rubem Vieira, sorteou os três vereadores que conduzirão o trabalhos da comissão: Willan Cezar (presidente), Vinícius Alves (relator) e Noel Pedrosa (membro).

O pedido de abertura de Comissão Processante foi protocolado pela servidora municipal e dirigente do Movimento Unificado dos Servidores de Itaguaí (Muspi) e do Sindicato Municipal dos Servidores da Saúde , Hellen Oliveira Senna. De acordo com a denunciante, após tomar conhecimento da edição 705 do Jornal Oficial da Prefeitura de Itaguaí, de 27 de fevereiro de 2019, página 111, no setor de publicação dos atos da Itaprevi, com a publicação da ata da primeira reunião ordinária do Conselho Municipal da Previdência do corrente ano, o prefeito não vem repassando a contribuição patronal, um montante de mais de R$ 21 milhões, colocando em risco o sistema previdenciário dos servidores. “O prefeito não pode alegar a ausência de recursos financeiros, pois segue lutando judicialmente para reverter o aumento do seu secretariado. Com esta conduta reiterada, incorre em crime de responsabilidade previsto no Decreto Lei 201/1967, ao endividar o município e desrespeitar leis municipal e federal”, justificou.

Votaram a favor da abertura da Comissão Processante os vereadores William Cezar, André Amorim, Ivan Charles, Waldemar Ávila, Genildo Gandra, Carlos Zóia, Reinaldo do Frigorífico, Vinicius Alves, Gil Torres e Rubem Vieira. Votaram contra a abertura da Comissão Processante os vereadores, Sandro da Hermínio, Haroldo de Jesus, Roberto Lúcio Espolador Guimarães, Carlos Kifer, Noel Pedrosa, Júnior do Sítio e Minouro Fukamati.

'