21/04/2021 13:50

A mãe sabia que Henry era submetido a torturas e espancamento por Jairinho: "Coitado do meu filho!!! "

imagem

Mensagens trocadas entre a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, mãe do menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos, e a babá Thayna de Oliveira Ferreira, de 25 anos, no dia 12 de fevereiro, revelam que ela sabia das agressões do médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade), contra seu filho. De acordo com as mensagens, a professora chega a lamentar pelo filho depois que a babá avisa que o parlamentar estaria dentro do quarto com a criança.

Em troca de mensagens, divulgadas pelo jornal O GLOBO, Monique diz à babá que estava "apavorada" porque Jairinho estava com o menino no quarto. Já nesta parte, Monique diz "coitado do filho", ao saber que o menino queria que a babá ficasse ao lado dele. Em outro momento, a babá diz que Henry estava mancando.

O médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (Solidariedade), e a professora Monique Medeiros da Costa e Silva, presos nesta quinta-feira acusados de envolvimento na morte do filho de Monique, serão indiciados por homicídio duplamente qualificado. Após um mês de investigações, o delegado Henrique Damasceno, titular da 16ª DP (Barra da Tijuca), acredita ainda que o casal torturou o menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos, sem chance de defesa. Se condenados, eles podem ficar até 30 anos presos.

O parlamentar, que foi afastado pelo seu partido e pode perder seu cargo, “impunha uma rotina da violência ao enteado”. É o que concluíram as investigações da Polícia Civil após ouvir 18 testemunhas no inquérito. Para o delegado, "há provas contundentes que revelam fundadas razões de autoria de crime hediondo”.

'