21/04/2021 13:15

Escondido atrás de um biombo, Edmar reafirma que Witzel recebia 20% das propinas na Saúde

imagem

Escondido atrás de um biombo, para não ser filmado, o ex-secretário Edmar Santos voltou a afirmar que o governador afastado Wilson Witzel recebia 20% das propinas da saúde, assim como Pastor Everaldo e Edson Torres, e que houve a promessa de que ele receberia 30% do percentual de propina. No entanto, conta que “não viu a cor do dinheiro”.

Ao ser questionado sobre a ligação com do ex-reitor da UNIG José Carlos Mello, afirmou que foi apresentado ao empresário durante uma reunião. Edmar Santos disse ainda que alertou ao governador afastado sobre pressões vindas de Edson Torres e Pastor Everaldo - para o recebimento de propina, durante a construção dos hospitais de campanha.

— Avisei ao senhor, que disse que iria falar com eles.

Witzel quis saber também qual era a frequência de despacho feito entre Gabriell Neves e Edmar Santos. O médico disse que era diário, pessoalmente ou por telefone, e lembrou que cobrava o andamento dos processos durante a pandemia.
Questionado como funcionou o afastamento de Gabriell Neves, Edmar Santos disse que no primeiro momento a decisão entre o governador afastado e Edmar era que Neves seria exonerado. No entanto, com uma interferência de Pastor Everaldo, houve apenas o afastamento.

Em depoimento, Edmar afirmou que Gabriell Neves não seguiu todos os processos legais para a contratação dos hospitais de campanha e que, mesmo o IABAS apresentando problemas na licitação, a empresa foi paga.
A defesa do ex-secretário pediu para que ele prestasse seu depoimento de forma reservada, além de não ser filmado nem houvesse captação de áudio. A decisão a favor da defesa foi do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A justificativa do pedido é a preservação da imagem de Edmar.

'