21/04/2021 14:37

Witzel é derrotado em manobra para novamente paralisar o impeachment

imagem

O governador afastado do Rio, Wilson Witzel (PSC), disse hoje ter identificado o chefe do esquema investigado por fraudar licitações e contratos com OSs (Organizações Sociais) na Secretaria Estadual de Saúde.

"Nos depoimentos do [empresário] Edson Torres e do [ex-secretário da Saúde] Edmar Santos, eu identifiquei quem é o chefe da organização criminosa. Não foi ouvido ainda um dos participantes dessa organização criminosa, que segundo o Edson é o Zé Carlos. Ele foi apresentado ao Edmar para que ele fizesse parte dessa distribuição de caixinha dentro da Secretaria de Saúde. e da qual eu não faço parte. Essa pessoa se chama José Carlos", disse Witzel, sem informar o sobrenome da pessoa.

Witzel tentou hoje adiar a sessão após ter destituído seus advogados de defesa. A manobra de afirmar que não poderia depor pela ausência de defensores não foi acolhida. O Tribunal negou o pedido. Ele atribuiu a mudança a uma divergência sobre qual deveria ser a linha de defesa, já que ele quer explorar o papel de José Carlos, citado por ele hoje.

"Houve uma divergência entre os meus advogados que acharam que esse não era o caminho a ser seguido, mas eu entendo que é o caminho. E, ontem à noite, nós entendemos que deveria ser constituída uma nova defesa", afirmou.

O governador afastado disse ainda que seu "objetivo não é procrastinar processo, mas esse é não é o julgamento de uma pessoa, não de uma pessoa física, nós estamos julgando um governo. Ao final desse processo é o fim da esperança de mais de 4 milhões e 600 mil eleitores e tantos outros fluminenses que acreditam e continuam acreditando que é possível mudar a história do Rio de Janeiro".

'