15/09/2019 23:20

CABRAL PROMETE REVELAÇÕES EXPLOSIVAS APÓS O CARNAVAL

imagem

A decisão do ex-governador Sérgio Cabral de quebrar o pacto de silêncio com colaboradores e amigos com quem manteve negócios espúrios envolvendo propinas está tirando o sono de deputados, ex-deputados, ex-secretários de estado e empresários. Espera-se, para após o carnaval, uma espécie de hecatombe no mundo político por conta da nova estratégia de Cabral de entregar seus parceiros num desesperada tentativa de arrefecer os efeitos de sua condenação que já beira os 200 anos.
De acordo com uma fonte próxima de seus advogados, a mudança decorreu da constatação de que a insistência em negar participação no recebimento de suborno não o favoreceu até aqui. Portanto, de acordo com advogados atuais – liderados por Márcio Dalambert – somente uma guinada radical poderia reabrir as possibilidades de negociação com o Judiciário de modo a lhe trazer algum benefício imediato, além de perspectivas de liberdade a médio prazo.
A mesma fonte antecipa que a delação unilateral de Cabral envolvendo o arcebispo D. Orani Tempesta foi apenas um aperitivo do conteúdo explosivo das informações que pretende revelar. Condenado a 200 anos de cadeia, Cabral pouco tem a perder no entendimento de seus conselheiros jurídicos. Perdeu a liberdade, trouxe graves danos à família e até aqui não enxergava uma saída para seu pesado martírio.
Nesta catarse individual, o ex-governador vai expor as vísceras da Alerj, as relações promiscuas com setores do Judiciário no Rio e em instâncias superiores, e as negociações de propinas envolvendo empreiteiros que prestavam serviço ao Estado.
Até aqui a delação de Cabral tem sido pra baixo – ou seja, aponta para personagens inferiores a ele na escala de poder. A mesma fonte antecipa que poderá ocorrer revelações noutras direções, comprometendo figurões de outros poderes. A conferir

'