17/07/2019 11:31

A pedido do PSL, Witzel adota discurso de neutralidade na disputa da ALERJ

imagem

Para não desagradar a bancada do PSL, com quem firmara um pacto de apoio mútuo em jantar ontem no Palácio Laranjeiras, o governador Wilson Witzel seguiu à risca o compromisso público de neutralidade ao abordar a disputa pela presidência da Alerj. Disse que não vai interferir no processo, por se tratar de tema de competência exclusiva dos deputados. A declaração foi dada durante a missa pelos 186 anos de Nova Iguaçu, que foi celebrada na Catedral de Santo Antônio, no Centro do município, nesta terça-feira. O deputado André Ceciliano, atual presidente da Alerj e candidato à reeleição, também assistiu à missa com Witzel.

Witzel disse que respeitará o desejo dos deputados e que terá uma relação respeitosa com o futuro presidente da Casa. O governador também anunciou que o Rio de Janeiro recebeu uma receita inesperada:


- Ontem recebemos uma plataforma (de petróleo) que nos rendeu R$ 250 milhões de ICMS. Isso é uma bênção - disse Witzel, ao ser convidado para falar no altar, ao lado de um dos bispos da Diocese de Nova Iguaçu, dom Luciano Bergamini.

Também acompanhou a missa o secretário estadual de Esportes, Felipe Bornier, que permaneceu ao lado de Witzel durante a cerimônia. Durante a celebração, que durou cerca de uma hora, Witzel comungou e ainda participou do ritual do ofertório.

Após a celebração, o governador disse que uma licitação deve ocorrer, em breve, para a compra de câmeras, que serão colocadas em viaturas policiais. Atualmente, apenas 10% da frota da PM possui o equipamento, que é obrigatório por lei.

- Vamos ter a licitação, que está sendo preparada. Vamos adquirir câmeras para todas as viaturas policiais - disse Witzel.

O governador comentou ainda as investigações em torno do ataque ao carro da deputada Martha Rocha, quando o motorista dela foi atingido por um tiro, no último domingo.

- Marta Rocha já está com escolta da Polícia Civil. O secretário de Polícia Civil já operacionalizou isso. Não foi atentado e sim tentativa de latrocínio. Já descobrimos quem é a pessoa (autor do crime). Está sendo solicitado o mandado de prisão - concluiu Witzel.

'