24/04/2019 11:04

Dornelles passa o cargo a Witzel com elogios a Pezão

imagem

Em cerimônia hoje a tarde no Palácio Guanabara, o governador em exercício dos últimos dois meses Francisco Dornelles transmitiu o cargo ao governador eleito Wilson Witzel, não sem antes render homenagens ao ex-governador Luiz Fernando Pezão, preso em desdobramento da Lava Jato no Rio. Fiel ao princípio da lealdade, Dornelles fez questão de enfatizar a importância de Pezão na construção de saídas para recuperação fiscal do Governo do Estado.
— O Rio viveu nos últimos anos uma crise sem precedentes, com queda de arrecadação com receitas sequestradas com frequência pela União credora. A tecnocracia federal dava mais importância aos números que às vidas das pessoas. O governador Pezão com paciência e com esforço do Rodrigo Maia do presidente Michel Temer conseguiu assinar o Regime de Recuperação Fiscal — afirmou Dornelles.

. No discurso, Witzel afirmou que "as tradições devem ser sempre revividas".

— Quero resgatar tradições elas são importantes pra manter vivo na memória o quanto já se fez para que esse estado hoje j estivesse com a sua população com um mínimo de serviços públicos. Muitos deram suas vidas, senhor governador, usando o uniforme azul, o uniforme do Corpo de Bombeiros, da Polícia Civil, vestindo a camisa do governo tombar para que outros pudessem viver. Por isso quanto magistrado sempre enverguei a toga para lembrar ancestrais que permitiram que o estado democrático de direito permitisse que viéssemos uma eleição turbulenta, mas uma eleição em que o vencedor toma posse. Por isso as tradições devem ser sempre revividas para lembrar dos nossos ancestrais que um dia lutaram por nós dando sequência a todo trabalho de construção da nossa sociedade — afirmou Witzel.

O novo governador desceu na área Ômega com a primeira dama, Helena Witzel e passou em revista a guarda palaciana. São 60 homens e mulheres sendo 21 do Batalhão do Choque. Depois, subiu a escada até o Salão Nobre após reverenciar a bandeira e a tropa passar por ele. No local, foi recebido por Dornelles, que sairá pela frente com a mulher, Cecília. A previsão é durar de 60 a 90 minutos incluindo a posse dos secretários.
A segurança no entorno do Palácio Guanabara foi reforçada com homens do 2º Batalhão da Polícia Militar (Botafogo), agentes do Batalhão de Choque e do Batalhão de Operações Especiais (Bope). A previsão é que a cerimônia conte com a revista da tropa, desfile da guarda palaciana, execução do hino do Estado do Rio de Janeiro e uma bênção ecumênica.

'