17/02/2019 12:36

ALERJ: Ceciliano e Pacheco caminham para o entendimento

imagem

RICARDO BRUNO

Ao contrário do que tem sido noticiado é cada vez menos provável uma disputa acirrada entre os dois principiais candidatos à presidência da Assembléia. André Ceciliano (PT) e Marcio Pacheco (PSC) caminham para um entendimento, com o beneplácito do Palácio Guanabara. O poderoso secretário de desenvolvimento econômico e geração de emprego, Lucas Tristão, tem trabalhado nos bastidores para evitar um esgarçamento entre parlamentares de centro inclinados a apoiar o governo.Os outros dois candidatos, Tia Ju (PRB) e Chicão Bulhões estão fora do jogo e se movimentam apenas para se cacifarem para obtenção de cargos na Mesa Diretora.

A lista do Coaf, com nomes de todos os matizes ideológicos, e a crise decorrente da denúncia de que o motorista Flávio Queiroz gerenciava uma caixinha no gabinete de Flávio Bolsonaro, arrefeceram os ânimos e retiraram do PSL o discurso de que eram necessárias mudanças na Casa em função dos resultados das urnas. O deputado Flávio Bolsonaro era o principal articulador do grupo e esgrimia bandeiras éticas para sustentar a necessidade de mudança. Abatido com a denúncia em seu gabinete, Flávio saiu de cena, abandonou a articulação do grupo e, assim, abriu caminho para que houvesse uma composição entre os partidos de Centro inclinados a apoiar o governo Witzel, desde que haja acordo.
O clima beligerante e radical presente nos primeiros dias após as eleições foi substituído por conversas e debates em torno da composição da Mesa Diretora. Não há definições sobre quem encabeçará a Chapa, se Pacheco ou Ceciliano, mas resta a certeza de que a nova Mesa tem que ser construída pelo diálogo.

'