22/09/2020 09:01

Moro não sabe mesmo identificar provas.

RICARDO BRUNO

Não houve novidade nos trechos revelados da reunião de Bolsonaro com seus ministros. Noves fora o vocabulário cafajeste, o presidente de fato ameaçou interferir na PF, caso não pudesse substituir o superintendente do Rio. Disse também que poderia trocar o ministro, no caso Sergio Moro, se seu desejo não fosse atendido. Quase tudo já era conhecido, inclusive a bosta (Dória) e o estrume (Witzel) referidos pelo presidente.

Weintraub foi outro ponto fora da curva, igualmente já sabido. Apoplético, teve mais um destempero com arroubos verbais para agradar ao chefe. Afirmou mesmo que colocaria na cadeia os ministros do STF. Deve ser responsabilizado criminalmente pela ameaça.


O restante foi ocupado por reprimendas de Bolsonaro aos ministros, com frases quase sempre carregadas de palavrões , bem ao estilo de uma conversa de botequim. E sem qualquer respeito à liturgia do cargo. Enfim, não houve surpresas. Inclusive quanto à descompostura do presidente da República.

De resto, como disse há pouco um integrante do Ministério Público que preferiu o anonimato, Moro não sabe mesmo identificar provas. Hoje, mais uma vez, ficou demonstrada sua incapacidade na função que outrora desempenhou na Justiça Federal de Curitiba.

'