21/01/2020 05:53

TJ vai apurar publicação de foto de Garotinho em rede social de juiz

imagem

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Cláudio de Mello Tavares, instaurou procedimento para apurar o comportamento do desembargador Alcides da Fonseca Neto, que, entre dias 1 e 6 de novembro de 2019, publicou em seu Instagran foto do ex-governador Anthony Garotinho deitado em uma maca reagindo à ordem judicial de transferência para o presidío de Bangu. O desembargador ainda fez troça com a situação acrescentando : “Novembro Azul. Não resista participe”. Em tom jocoso, Alcides Fonseca tenta comparar a reação de Garotinho a dos homens que se recusam a fazer exames de próstata.

Tão logo tomou conhecimento da publicação, Garotinho protocolou queixa da corregedoria do TJ. No documento, os advogados do ex-governador afirmam que o desembargador Alcides da Fonseca ao publicar a foto atentou contra a dignidade e a honra de Garotinho, bem como contra o decoro de suas funções ao caçoar de pessoa que outrora fez parte do poder executivo”.

A foto original fora realizada em 16 de novembro de 2016, quando Garotinho se encontrava preso preventivamente, sob suspeita de compra de votos nas eleições municipais de Campos de Goytacazes. Por determinação do juiz Glaucenir Silva, ele fora transferido do Hospital Souza Aguiar para Bangu 8, recusando-se a entrar na ambulância. A cena foi amplamente divulgada em jornais e televisões.

Ainda de acordo com o documento enviado à Corregedoria do TJ por Garotinho, o teor da mensagem seria “reprovável vindo de qualquer pessoa, mas é ainda mais deplorável quando o emissor trata-se de figura do Judiciário, cujo Códido de Ética atribui a necessidade de comportar-se na vida privada de modo a dignificar a função.
Procurado, Garotinho não quis comentar o fato.

'