19/04/2019 15:50

De olho na prefeitura, Wladimir quer tirar Campos da crise

imagem

Em entrevista ao Jogo do Poder, domingo passado, , o mais novo representante do clã dos Garotinho no mundo político, o deputado federal eleito Wladimir, afirma que pretende dedicar seu mandado à tarefa de reerguer a economia de Campos, onde obteve a maioria dos seus 39 mil votos. E já deu partida nesta empreitada: há 10 dias se reuniu com o governador Wilson Witzel para discutir projetos para transformar a cidade em importante polo de produção alcooleira. Hoje, das 18 usinas da região, apenas 3 estão em operação e com produção bem abaixo da capacidade operacional.

Eleito pelo PRP, o filho de Garotinho já se prepara para sua primeira troca de sigla pois a atual não atingiu a cláusula de barreira. A decisão vai levar em conta a próxima etapa de seu projeto político: suceder o prefeito Rafael Diniz e assim fazer retomar à família o controle da cidade de Campos, cujo orçamento, turbinado pelos royalties, ultrapassa a casa dos R$ 2 bilhões.

- É natural que meu nome seja lembrado, afinal a atual administração tem sido muito incompetente. Mas neste momento estou preocupado com o cumprimento de meu mandato como deputado federal – desconversa Wlad, para quem sua eleição à Câmara Federal é um indicativo de que “o futuro já começou”, slogan de sua campanha cujo objetivo maior é a prefeitura de Campos.

Se fosse apenas pelo coração, Wladimir optaria pelo PDT, partido pelo qual seu pai foi Governador. Wlad guarda simpatia pela sigla e reverencia à memória de Leonel Brizola. Contudo, a dificuldade de relacionamento com Carlos Lupi, presidente do partido, reduz esta possibilidade. Recentemente, Lupi negou a Garotinho a legenda para disputar o Governo do Estado. Eleitor de Ciro Gomes, no Congresso não pretende fazer oposição visceral ao Governo Jair Bolsonaro.

- Vou votar sempre a favor dos projetos que julgar do interesse da sociedade. Torço para que dê certo - afirma

Aos 34 anos, Wladimir tem o traquejo político do pai sem a beligerância que, por inúmeras razões, isolou Garotinho de todas as correntes políticas do Rio, sem exceção. Instado a comentar a trajetória do pai, durante o programa, Wladimir é econômico, não se alonga em análises minuciosas. Mas faz questão de sinalizar diferenças:

- O problema dele é o temperamento.

Uma de suas principais bandeiras é trabalhar politicamente para a conclusão da duplicação da BR 101, especialmente no trecho entre Campos e Vitória, rodovia muita utilizada pelos campistas que fazem de Vitória e das praias do Espirito Santo destino frequente.
O programa vai ar hoje, `as 23h15, pela Rede CNT. No Rio, canais 9 da TV aberta e 22 e 522 da Net.
Campos dos Goytacazes - 4 VHF / 42 HD / 4.1 digital
São Francisco de Itabapoana - 42 HD / 4.1 digital
São João da Barra - 42 HD / 4.1
Macaé - 11 VHF / 45 HD / 11.1

'