21/07/2019 16:51

Estão banalizando a prisão sem provas

imagem

RICARDO BRUNO


É possível que o governador Pezão esteja envolvido em algum esquema de corrupção, como argumentam os integrantes do Ministério Público. Mas, até o momento, o fato objetivo é: a 30 dias do fim de seu mandato, o governador foi retirado do Palácio Laranjeiras por forças policiais federais e preso sem qualquer prova. Tudo que há são delações como a de Carlos Miranda, segundo a qual ele era beneficiário de propinas mensais de R$ 150 mil. Nas contas bancárias, nada fora encontrado; nos extratos, nenhuma movimentação estranha; nas residências, nenhum documento revelador. Ou melhor: um home theater instalado em Piraí seria a maior prova do crime.
Preocupa a naturalidade com que ações policiais desta natureza, baseadas exclusivamente em delações, são executadas sem que haja qualquer contestação na imprensa ou mesmo de autoridades constituídas. O instituto de delação trouxe avanços importantes na apuração de crimes na administração pública no País. Mas a delação, não pode, não deve, substituir a prova, sob pena de quebra do estado de direito. E isto tem sido feito nos últimos dias com espantosa frequência – sem críticas ou contestação. Estão banalizando a prisão sem provas.

'