17/02/2019 12:26

Política

  • Prefeito Waguinho e deputada Daniela sofrem atentado

    O prefeito de Belford Roxo, Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho, e sua mulher, a deputada federal Daniela do Waguinho, sofreram um atentado nesta sexta-feira (15) na Avenida Automóvel Clube, na altura da rodoviária do Parque São José. O carro em que o casal estava, uma Hilux blindada, foi alvejado por um tiro de fuzil na porta do motorista. Foram vários tiros, que teriam sido disparados do Morro da Caixa D’água. A equipe de imprensa da Prefeitura que acompanhava o trabalho do prefeito teve que se proteger para não ser atingida pelos disparos.

  • Regis Fichtner é preso de novo na operação Lava Jato

    Ex-secretário da Casa Civil durante o governo de Sérgio Cabral , Régis Fichtner foi preso, na manhã desta sexta-feira, em mais uma fase da operação Lava-Jato no Rio. O advogado estava em casa, na Barra da da Tijuca, na Zona Oeste da capital. Fernando França Martins, acusado de ser o operador do ex-secretário, também foi preso em sua residência, na Tijuca, na Zona Norte. Além dos dois mandados de prisão, os agentes visam a cumprir seis de busca e apreensão.

  • Em jantar com Ceciliano, bancada do PSL sela a paz

    Partido presidido pelo senador Flávio Bolsonaro no Rio, o PSL finalmente conseguiu um cessar-fogo entre seus próprios deputados. O pacto de paz envolvendo os 12 parlamentares da legenda - maior bancada da Assembleia Legislativa - foi selado em um jantar na noite desta terça-feira articulado pelo deputado Gil Vianna, líder do partido na Alerj, que contou a participação do presidente Andrè Ceciliano.A informação é de O GLOBO.

  • Nem todo suplente poderá assumir o mandato na Assembleia

    Os deputados da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) discutem nesta semana proposta que pretende acelerar a posse dos suplentes dos seis parlamentares presos e que não puderam assumir posse de seus cargos.Em um dos casos, no entanto, nem o suplente poderia assumir porque também está preso. Anderson Alexandre (SD) está detido por suspeita de corrupção e fraude em licitações. Seu reserva, Coronel Jairo (SD), foi preso no exercício do mandato na Operação Furna de Onça, em novembro, suspeito de receber mesada do esquema do ex-governador Sergio Cabral.

  • MP DENUNCIA EX-PREFEITO ALAIR CORREA POR PECULATO

    O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro denunciou o ex-prefeito de Cabo Frio Alair Francisco Côrrea pelo crime de peculato. De acordo com a denúncia, entre 2015 e 2016, o político desviou recursos referentes às contribuições dos integrantes da Associação dos Fiscais do Município, que deveriam ter sido depositados na conta da entidade, para o pagamento de servidores do município.

  • Picciani, Melo e Albertassi agora serão julgados por Bretas

    Os ex-deputados estaduais do Rio Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do MDB, serão julgados pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal. Os processos dos três tramitavam no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2), pois todos tinham foro privilegiado, mas, como não concorreram à eleição, passaram para a primeira instância judicial.

  • Bretas mantém Pezão preso por não ter achado suposta propina

    O juiz Marcelo Bretas acredita que o ex-governador Luiz Fernando Pezão mesmo já fora do comando do Palácio Guanabara poderá continuar ou facilitar a ocorrência de novos crimes. Para evitá-los, o que ameaçaria a ordem pública e as investigações, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, manteve nesta quinta-feira (7/2) a prisão preventiva de Pezão.O juiz ressaltou que há a suspeita de que Pezão tenha recebido R$ 40 milhões de propina. Como esse valor é muito superior aos seus rendimentos e não foi encontrado, há “fortes indícios” de que vem sendo ocultado ", avaliou Bretas. Assim, apontou, a prisão preventiva do ex-governador “está em sintonia com o entendimento amplamente adotado na jurisprudência de que o crime de lavagem de dinheiro é de natureza permanente na modalidade ocultação”.

  • Tofolli vai decidir se Gilmar ficará com o caso dos deputados presos

    O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffolli decidirá se o ministro Gilmar Mendes será o relator da investigação, que tem como principais alvos parlamentares e servidores Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).Em dezembro do ano passado, o ministro Luiz Fux, que estava na presidência do plantão do Supremo, atendeu um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e decidiu que a relatoria do caso seria de Carmen Lúcia.

  • Gilmar Mendes nega liberdade a ex-secretário Cortes

    O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um pedido de liberdade feito pelo ex-secretário de Saúde do Rio Sérgio Côrtes. Ele está preso desde o fim de agosto do ano passado. Côrtes foi um dos alvos da Operação S.O.S, uma das etapas da Lava-Jato no Rio. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), houve fraudes em contratos que levaram ao desvio de R$ 74 milhões dos cofres públicos, com anuência da Secretaria de Saúde à época comandada por Côrtes.

  • Assessor do ex-deputado Simão Sessim é preso com 150 mil reais

    Preso com R$ 149.800 e um revólver calibre 38 com a numeração raspada, Joshson José Bandeira, de 43 anos, alegou para policiais do 21º BPM (São João de Meriti) que a quantia em espécie pertencia ao ex-deputado federal Simão Sessim, do PP, para quem trabalharia como assessor. E mais: teria pego o valor com o filho do ex-parlamentar Marcelo Sessim, em um shopping na Barra da Tijuca, para levar para Dudu Amorim, funcionário de Sessim, em Nilópolis, Baixada Fluminense.

  • TRE torna Pezão inelegível até 2022

    O Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) tornou o ex-governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão inelegível até 2022. O ex-governador foi punido por ter favorecido doadores de sua campanha eleitoral em 2014.

  • Prefeitos de Angra, Teresópolis, Araruama e Pinheiral são investigados

    O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro ajuizou novas quatro ações civis públicas contra municípios fluminenses pelo não cumprimento da aplicação mínima de recursos na área educacional e do repasse de recursos exclusivamente para as secretarias de Educação. De acordo com as ações, entre os anos de 2016 e 2017, as prefeituras de Pinheiral, Araruama, Teresópolis e Angra dos Reis descumpriram o artigo 212 da Constituição Federal e o artigo 69, caput, parágrafo 5º, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que determinam, respectivamente, a aplicação de, no mínimo, 25% da receita resultante de impostos em Educação, e o repasse dos valores imediatamente ao órgão responsável pela área.

  • MP faz busca e apreensão na Prefeitura de Belford Roxo

    O Ministério Público , com o apoio da Polícia Civil e do Tribunal de Contas do Estado, realizou operação para busca e apreensão de documentos na Secretaria de Obras, Urbanismo e Infraestrutura e em outros locais da Prefeitura de Belford Roxo, a fim de apurar suspeitas de organização criminosa, peculato e fraude à licitação em contratos celebrados entre o poder municipal e empresas do setor de construção civil. O MPRJ requereu, junto ao juízo da Comarca de Belford Roxo, a quebra dos sigilos dos dados e documentos apreendidos nos locais.

  • Ex-secretário Wagner Victer será diretor-geral da Alerj

    Secretário de Educação na gestão do ex-governador Luiz Fernando Pezão (MDB), Wagner Victer será o diretor-geral da Assembleia Legislativa do Rio. Ele foi convidado para a função nesta segunda-feira pelo deputado André Ceciliano (PT), que foi eleito no sábado (2) para permanecer à frente do comando da Casa no próximo biênio (2019-2020). Victer, que é também ex-presidente da Cedae, aceitou o convite e será oficialmente anunciado nos próximos dias. A informação é de Paulo Cappelli, de O Globo.

  • Técio assume a defesa de Rodrigo Neves

    O escritório do advogado Técio Lins e Silva, que já atuou em casos famosos como o da Delta Engenharia, assumiu a defesa do prefeito Rodrigo Neves (PDT), preso desde 10 de dezembro, em Bangu 8. Com o fim do recesso do Judiciário, encerrado ontem, o processo volta a tramitar. O ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo era o advogado que estava à frente da defesa e, na semana passada, desistiu do pedido de habeas corpus impetrado em 26 de dezembro no Supremo Tribunal Federal (STF).

  • ALERJ DECIDE ATÉ QUARTA SE EMPOSSA OU NÃO DEPUTADOS PRESOS

    A Alerj deve decidir até a próxima quarta-feira se empossa ou não os seis deputados presos. O presidente André Ceciliano é favorável, desde que não haja nomeação de assessores tampouco pagamento de salários. O juiz Gustavo Arruda, do TRF 2, afirmara em decisão semana passada que a posse nas dependências do presidio só poderia ser realizada com autorização do Legislativo. Por precaução, a Assembléia vai novamente consultar o Tribunal sobre a legalidade do ato, para em seguida decidir. Caso o TRF 2 confirme a autonomia da Alerj para deliberar sobre a questão, a tendência é que a Mesa Diretora autorize a posse, pois os deputados não foram condenados sequer em primeira instância.

  • Como previsto, Ceciliano vence com facilidade eleição na Alerj

    O deputado André Ceciliano (PT) foi eleito, neste sábado (02), o novo presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) para um mandato de dois anos. Com 49 votos favoráveis, sete contrários e oito abstenções, dos 64 votos possíveis, a chapa única “Arrumação”, liderada por Ceciliano, foi escolhida para conduzir os trabalhos da Casa. Veja como votou cada deputado: Resultado final: – SIM: 49 – NÃO: 7 – ABSTENÇÃO: 8

  • Judiciário abre caminho para Alerj autorizar a posse dos deputados

    O juiz Gustavo Arruda, do Tribunal Regional Federal, ao não deliberar de modo terminativo sobre a possibilidade de posse dos seis deputados eleitos presos pela operação Furna da Onça, acabou resolvendo a questão por linhas transversas. Se o Poder Judiciário hesita sobre a problema, transferindo a responsabilidade ao comando da Alerj, não há outro caminho se não garantir a posse de todos, pois, a despeito das acusações, nenhum deles foi condenado.

  • Ceciliano vai consultar a Mesa para decidir se autoriza posse de deputados

    Se reeleito amanha, o presidente da Alerj, André Ceciliano, não vai decidir monocraticamente se permite ou não a posse dos seis deputados eleitos presos. Ceciliano vai consultar a Mesa Diretora, a Procuradoria da Casa e a o próprio Tribunal Regional Federal para a deliberar se autoriza ou não, em caráter excepcional, o ato de posse nas dependências do presídio. Em entrevista a Cassio Bruno de O Dia, Ceciliano lembrou que os parlamentares, ainda que presos, não foram condenados e foram eleitos pelo voto popular.

  • Marco Aurélio rejeita recurso de Flávio e investigação segue no Rio

    O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivou sem ao menos julgar o pedido do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) para que fosse transferido para a Corte a investigação sobre movimentações bancárias suspeitas de seu ex-assessor Fabricio Queiroz. Com isso, as apurações poderão ser retomadas pelo Ministério Público do Rio de Janeiro.No mesmo processo, Flavio Bolsonaro pediu a anulação das provas obtidas até agora pelos investigadores. Marco Aurélio sequer analisou esse trecho antes de arquivar.

  • MP pede bloqueio de R$ 9,5 milhões em contas e bens de Netto

    O Ministério Público do Rio pediu bloqueio de R$ 9.598.741,58 nas contas e nos bens de Antônio Netto, ex-prefeito de Volta Redonda, Waldiney Alves de Oliveira, procurador do município, e da empresa Locanty Comércio e Serviços. O MP acusa a prefeitura de ter usado a modalidade errada de licitação para contratar, em 2009, a Locanty para execução de serviços de coleta de lixo e limpeza da cidade. O promotor de Justiça João Alfredo Gentil Fernandes afirma que o município utilizou o 'pregão', um tipo mais simples de licitação, ao em vez de recorrer à 'concorrência', como deveria.

  • Justiça não autoriza liberação de deputados presos para posse

    O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) negou o pedido de três deputados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) de “saída temporária” da prisão para tomar posse na nova legislatura, que começa amanha, sexta-feira. Luiz Martins (PDT), Marcos Abrahão (Avante) e Chiquinho da Mangueira (PSC) foram presos na Operação Furna da Onça, sob acusação de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

  • PSL não consegue apoios para disputar presidência da Alerj

    O PSL não conseguiu o número mínimo de apoios para inscrever uma chapa alternativa para disputar a presidência da Alerj com o favorito Andrè Ceciliano. Segundo o Cassio Bruno, de O dia, o deputado Márcio Gualberto, nome cogitado para a representar a legenda, obteve o apoio de apenas 12 parlamentares. No PSL, o grupo mais ligado ao governador Wilson Witzel se nega a apoiar uma chapa de oposição, por temer o fracionamento da ainda frágil base de apoio do governador,

  • Flávio Bolsonaro volta atrás e vai ficar no comando do PSL

    Um dia após confirmar que deixaria a presidência do PSL no Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro recuou e, agora, afirma que permanecerá no comando do partido no estado até junho, quando encerrará seu mandato como presidente interino. Nesta terça-feira (29), o deputado estadual e senador eleito dissera que já havia "cumprido sua missão" como presidente do PSL-RJ e que, por conta da mudança para Brasília, deixaria o posto. Segundo fontes, a mudança de postura ocorre para dissipar o clima de disputa, entre alas do PSL, que ganhou força com a revelação, pelo GLOBO, da saída de Flávio.

  • Vereador é condenado a 36 anos por exigir salário de servidores

    O juiz Rafael Azevedo Ribeiro Alves, da Vara Única de Casimiro de Abreu, condenou o ex-presidente da Câmara de Vereadores do município Alessandro Macabu Araújo, o Pezão (PRP), a 36 anos e dois meses de prisão por um esquema de “rachadinha” nos salários de servidores. O ex-chefe de gabinete Jairo Macabu Soares também foi condenado a 26 anos e um mês de prisão, com a perda do cargo público, enquanto o ex-assessor-especial Wilson da Silva Oliveira Neto, a quatro anos e 10 meses. Segundo a denúncia aceita pela Justiça, os três participavam do esquema criminoso no período de 2013 a 2015. Ainda cabe recurso.

  • Em nota, Einstein explica procedimento e confirma que Paes passa bem

    Após cateterismo, o ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes deverá ter alta nas próximas horas do Hospital Alberto Einstein, em São Paulo. Uma pequena artéria estava parcialmente obstruída e com o próprio exame o problema foi resolvido, não sendo necessária a utilização de stends. ‘Paes teve um princípio de infarto na manhã deste domingo (27) em Campinas, interior de São Paulo, e foi levado para o Einstein, Zona Sul da capital. Apesar de ter passado mal, Paes ficou estável em seguida.

  • Bispo Jorge Braz assume vaga de Wagner Montes na Câmara Federal

    Com 58 mil votos, o bispo Jorge Braz, ex-vereador e atual presidente do Procon do Rio, assume a vaga deixada por Wagner Montes na Câmara Federal. Braz havia voltado ao posto que ocupava até abril ano passado, quando precisou ser exonerado para poder disputar as eleições. Ficou como primeiro suplente do PRB, que obteve duas cadeiras, a de Wagner e a de Rosângela Gomes, de Nova Iguaçu.

  • Vereadora de Cabo Frio é denunciada por desvio de medicamentos

    O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da Promotoria de Justiça de Investigação Penal de Cabo Frio, ofereceu, na última quinta-feira (24/01), denúncia por crime de peculato contra Alexandra dos Santos Codeço (PRB), vereadora do município de Cabo Frio, na Região dos Lagos. Aponta o MPRJ que, entre 2013 e 2016, no exercício de funções públicas e lotada na Secretaria Municipal de Saúde de Cabo Frio, a denunciada, livre e voluntariamente, apropriou-se de bens móveis dos quais tinha posse em razão do cargo, desviando, em proveito próprio ou alheio, material hospitalar e medicamentos, tais como, remédios, seringas, ataduras, fraldas, escapes para soro e gaze esterilizada.

  • MP acusa Jordão de improbidade por fraude em licitação com Bradesco

    O Ministério Público pede a condenação do prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, por ato de improbidade administrativa praticado em seu mandato anterior. Em 2006, Jordão entregou ao Bradesco, sem licitação, o processamento da folha de pagamentos dos servidores municipais, ativos e inativos. Ontem, a instituição bancária, para se livrar de acusação de fraude do processo licitatório, , da qual seria coautora, assinou com o MP um termo de ajustamento de conduta, pelo qual se compromete a transferir para a prefeitura R$ 1,6 milhão, em um prazo de 10 dias. Os recursos deverão ser utilizados para a implantação de um Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua.

  • O GLOBO supera a FOLHA e volta a ser o maior jornal do país

    O Globo voltou a fazer jus ao seu tradicional slogan, o maior jornal do país. Apesar da espetacular queda de 43% em sua circulação impressa nos últimos três anos, o jornal dos Marinho, de acordo com os últimos números do IVC, se firmou como o mais importante quality paper brasileiro. Com 120 mil assinaturas na versão impressa e 194 mil na digital, o GLOBO lidera o ranking de circulação nacional com 315 mil assinantes, superando a Folha, com 310 mil.

  • Justiça determina bloqueio de bens de Paes por fraude em licitação

    A Justiça do Rio de Janeiro determinou, de modo cautelar, o bloqueio de bens no valor de até R$ 7.434.466,51 do ex-prefeito Eduardo Paes, do ex-secretário de Saúde Hans Dohmann e de mais cinco pessoas por suposta fraude em licitação para serviços de emergência médica durante a Jornada Mundial da Juventude, em 2013, informa o G1.

  • Transparência será a principal meta de Ceciliano na presidência da Alerj

    O presidente interino da Alerj, André Ceciliano (PT), determinou ontem que se estudem formas mais simples de consultas no portal da transparência da Alerj, de modo a atender não só à necessidade de informação do Ministério Público, como da sociedade em geral. Ceciliano pretende transformar a Alerj em exemplo de transparência no Parlamento. Ele adiantou que já está efetuando parceria com a Câmara Federal. para criar novos e mais fáceis mecanismos de acesso a dados. Cotado para ser eleito presidente no próximo dia 2 de fevereiro, Ceciliano pretende fazer da transparência uma de suas principais metas de mudança na Casa.

  • Receita Federal vai também fechar o cerco em torno da Alerj

    A Receita Federal vai fechar o cerco em torno dos deputados estaduais do Rio e servidores da Assembleia Legislativa do Estado envolvidos com movimentações financeiras consideradas atípicas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Entre os alvos, estão Flávio Bolsonaro (PSL) e seu ex-assessor Fabrício Queiroz. A partir desta semana, o Fisco começa a fazer o cruzamento das informações levantados pelo Coaf com as declarações de Imposto de Renda dos citados na Operação Furna da Onça. A informação é do jornal Estado de São Paulo ,

  • Vínculo com milicianos complica situação de Flávio Bolsonaro

    A mãe e a mulher de um dos denunciados na operação contra milicianos deflagrada nesta terça-feira (22) trabalharam no gabinete do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).Raimunda Veras Magalhães – mãe do ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar Adriano Magalhães da Nóbrega, que está foragido – aparece em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) como uma das pessoas que fizeram depósitos para Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio.Raimunda, de acordo com o relatório do Coaf, depositou R$ 4,6 mil na conta de Fabrício Queiroz. Ela aparece na folha da Alerj com salário líquido de R$ 5.124,62.

  • Prefeito de Itaguai e esposa movimentaram R$ 81 milhões, segundo relatório do Coaf

    O prefeito de Itaguai, Carlos Busatto (MDB) conhecido como Charlinho, e sua esposa, a ex-deputada estadual Andrea Busatto (PDT), estão no topo de uma outra lista do Coaf, enviada ao Ministério Público Federal em junho do ano passado, seis meses depois de os técnicos do conselho produzirem a lista sobre movimentações suspeitas de funcionários do gabinete de Flávio Bolsonaro. Segundo o conselho, o casal foi citado em comunicações de movimentação suspeita no total de R$ 81 milhões, entre 2011 e 2016. No relatório, o órgão cita que os dois são investigados pelo Ministério Público Federal por suspeita de irregularidades “no âmbito do Prosub (Programa de Desenvolvimento de Submarinos) a partir da contratação da construtora Odebrecht da Construtora Lytorânea da qual o prefeito seria sócio oculto”.

  • André Ceciliano coloca à disposição do MP sigilos bancário, fiscal e telefônico

    Em nota, o deputado estadual André Ceciliano (PT-RJ) afirma que apenas duas das quatro funcionárias citadas no documento são realmente assessoras em seu gabinete e que enviou ao MP-RJ esclarecimentos feitos por elas por escrito, além de ter colocado à disposição do órgão seus sigilos fiscal, bancário e telefônico

  • Eleição na Alerj terá chapa única liderada por André

  • Chiquinho deixa presídio e passa para a prisão domiciliar

  • Prefeita de Saquarema é cassada pela Justiça Eleitoral

    O grupo político do ex-deputado Paulo Melo, preso na operação Cadeia Vellha, conseguiu hoje uma vitória contra seus principais adversários na politica de Saquarema. O Juiz da 62ª Zona Eleitoral cassou os diplomas da prefeita e do vice-prefeito de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio .Manoela Ramos de Souza Gomes Alves (Manoela Peres) e Pedro Ricardo de Carvalho Oliveira foram punidos por abuso de poder econômico, além de uso indevido de meios de comunicação durante a última campanha eleitoral.

  • PEZÃO, PRESO POR FALTA DE PROVAS

    O ex-governador Pezão pode ou não estar envolvido em transações ilegais. Mas o fato objetivo de sua prisão ainda não foi apresentado pelo MP tampouco pela Polícia Federal. Existem prisões por abundancia de provas; outras por escassas evidências ou indícios passíveis de contestação. A prisão de Pezão inaugura uma nova jurisprudência: a prisão por absoluta falta de provas.

  • A pedido do PSL, Witzel adota discurso de neutralidade na disputa da ALERJ

    Para não desagradar a bancada do PSL, com quem firmara um pacto de apoio mútuo em jantar ontem no Palácio Laranjeiras, o governador Wilson Witzel seguiu à risca o compromisso público de neutralidade ao abordar a disputa pela presidência da Alerj. Disse que não vai interferir no processo, por se tratar de tema de competência exclusiva dos deputados. A declaração foi dada durante a missa pelos 186 anos de Nova Iguaçu, que foi celebrada na Catedral de Santo Antônio, no Centro do município, nesta terça-feira. O deputado André Ceciliano, atual presidente da Alerj e candidato à reeleição, também assistiu à missa com Witzel.

  • Em ato de solidariedade, Ciro visita Rodrigo em Bangu 8

    O prefeito suspenso Rodrigo Neves (PDT) recebeu, no sábado (12), a visita de Ciro Gomes (PDT), a principal liderança de seu partido. Gomes, que participou das eleições presidenciais de 2018, esteve no presídio de Bangu 8, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, para conversar, prestar solidariedade e apoio para Neves, que está preso desde o dia 10 de dezembro, acusado de participar de um esquema de corrupção que teria desviado cerca de R$ 10 milhões dos cofres públicos. O encontro durou cerca de 40 minutos.

  • SECRETÁRIO AMEAÇA PRENDER DEPUTADOS E ABRE CRISE ENTRE ALERJ E GOVERNO

    Coube ao novo secretário de Polícia Civil, Marcos Vinícius Braga, deflagrar a mais séria crise entre o Palácio Guanabara e a Alerj. Em entrevista, ao O Dia, Marcos Vinicius ameaçou irresponsavelmente prender durante sua gestão deputados e prefeitos. Sem citar casos, tampouco provas ou indícios que justificassem tal medida, o delegado trouxe indignação entre os parlamentares. Hoje pela manhã, ciente do estrago provocado por sua declaração, Marcos Vinicius ligou para o presidente André Ceciliano, pedindo desculpas e afirmando ter sido mal interpretado na entrevista. A retratação contribui para desanuviar o clima tenso entre os deputados. Muitos já se preparavam para convoca-lo para a esclarecimentos e apresentar a lista dos deputados e prefeitos que seriam presos.

  • Em carta, Maria Lucia denuncia arbitrariedades da prisão de Pezão

    Em carta publicada neste domingo nas redes sociais, a esposa do ex-governador Luiz Fernando Pezão, Maria Lucia Cautiero Pezão, faz um desabafo e enumera as razões pelas quais considera injusta a prisão preventiva de seu marido. Maria Lucia lembra que Pezão fora inocentado por 6x0 no STJ, que o publicitário Renato Pereira o inocentou e que Ricardo Saud, executiva da JBS, foi categórcio ao afirmar em delação nunca ter tratado de negócios escusos com o governador. Lembra ainda que os sigilos fiscal e bancário de Pezão foram quebrados, sem nada atípico ter sido encontrado. Que a alegação de uma conta sem movimentação seria indevida, pois a mesma não era usada há por Pezão, que utilizava outra conta no Bradesco, cuja movimentação também não tinha nada de anormal. A despeito de sua atitude colaborativa, Pezão foi arrancado do Palácio Guanabara e está preso há mais de um mês sem maiores justificativas, pois nada de substancial fora fora provado contra ele.

  • RODRIGO E QUEIROZ: DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS

    O Ministério Público tem sido merecedor do reconhecimento da sociedade como instrumento essencial ao combate à corrupção e a desmandos de modo geral. Contudo, não há um padrão regular em suas iniciativas. O rigor tem sido entremeado à complacência, produzindo incompreensão e dúvidas perturbadoras na sociedade. Num dia, os grilhões da prisão implacável sem a permissão sequer do contraditório. Rito sumário. Noutro, a tolerância, a razoabilidade, a boa vontade, a despeito de um certo cinismo do acusado diante das autoridades. Entre uma situação e outra, mudam-se apenas os personagens , os partidos políticos e fundamentalmente a forma como são tratados diante da lei.

  • Dornelles sai em defesa de Ceciliano: Se todo petista fosse igual ele, eu me filiaria ao PT".

    O governador Wilson Witzel (PSC) tem sido criticado por ala ligada a Bolsonaro por um suposto apoio ao petista André Ceciliano para a presidência da Alerj. De férias e com viagem marcada para o Nordeste, o ex-governador Francisco Dornelles (PP) sai em defesa de Ceciliano. Em conversa com Paulo Cappelli de o GLOBO, disse que, quando governou o Rio, recebeu "todo o apoio necessário" de Ceciliano, presidente em exercício da Alerj.

  • Clarissa se compromete a ajudar Witzel na Câmara dos Deputados

    Em reunião no Palácio Guanabara hoje pela manhã, a deputada Clarissa Garotinho (PROS-RJ) se colocou à disposição do Governador Wilson Witzel para uma atuação afinada em defesa dos interesses do Estado na Câmara dos Deputados.

  • Preso há 30 dias, Rodrigo é submetido a isolamento da família

    Decorridos 30 dias da prisão do prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, sua esposa e demais familiares não conseguiram sequer visita-lo. Não bastasse a decisão judicial ter sido fundamentada a partir apenas da delação do empresário Marcelo Traça, criminoso confesso, Neves está sendo submetido ao isolamento familiar. Até hoje, a família e a defesa de Rodrigo não conseguiram também obter informações conclusivas sobre as razões de sua prisão. Encarcerado, ele sequer foi ouvido por qualquer instância do Judiciário. Não lhe foi concedido ainda o direito de, pessoalmente, se contrapor às acusações.

  • Witzel é o governador com menor base na Alerj desde a fusão

    A decisão do governador Wilson Witzel de não terçar armas na disputa pelo comando da Alerj repousa na razoabilidade de fatos históricos, que mostram que nem sempre a força majoritária das urnas prevalece no jogo interno do parlamento. O funcionamento das casas legislativas obedece a lógicas peculiares. Nos anais da Assembléia Fluminense há muitos casos em que o governo vitorioso sucumbiu diante da tentativa de enfrentamento do establishment. O mais notório se deu em 1990, quando Brizola voltou ao Governo do Rio, elegendo 22 deputados estaduais numa coligação de sete partidos. Carlos Correa, o candidato do PDT, foi derrotado fragorosamente por José Nader – deixando o governo exposto à necessidade de recompor sua base, dado o enorme desgaste decorrente da disputa interna.

  • Witzel quer legalizar cassinos para ajudar o Rio a sair da crise

    O governador do Rio, Wilson Witzel, alertou hoje (8) que o estado poderá chegar em julho sem dinheiro suficiente para honrar os compromissos e defendeu a legalização do jogo no país, como uma forma de gerar recursos. Ele participou, nesta terça-feira, da posse do novo procurador-geral do estado, Marcelo Lopes.

  • Caso Pezão será entregue a Bretas

    O ministro do Superior Tribunal de Justiça ( STJ ) Félix Fischer determinou o envio da denúncia movida contra o ex-governador Luiz Fernando Pezão (MDB) para a primeira instância da Justiça Federal do Rio de Janeiro, acolhendo pedido da Procuradoria-Geral da República ( PGR ).A decisão foi proferida por Fischer ainda no dia 19 de dezembro, antes do recesso do Judiciário. Nela, o ministro afirma que os autos deveriam permanecer no STJ até o fim do mandato de Pezão e, logo em seguida, “que sejam baixados ao Juízo competente”. Com essa autorização, o corpo técnico do STJ já pode enviar o processo para a Justiça Federal do Rio. Lá, por prevenção, o caso deve ficar com o juiz federal Marcelo Bretas, que cuida dos casos da Lava-Jato no estado.

  • Rosinha tem direitos políticos suspensos em condenação por improbidade

    A ex-governadora do Rio Rosinha Garotinho foi condenada por improbidade administrativa à suspensão dos direitos político por oito anos e e ao pagamento de R$ 234 milhões de ressarcimento aos cofres públicos. Ainda segundo a sentença do juiz Daniel Schiavoni Miller, titular da 4ª Vara da Fazenda Pública, Rosinha ainda foi condenada à perda de função pública e ao pagamento de multa civil de R$ 500 mil e de R$ 2 milhões de compensação por danos morais coletivos. A decisão ainda cabe recurso.

  • Família de Queiroz também não comparece para depor ao MP

    As filhas e a esposa de Fabrício José Carlos Queiroz, ex-motorista e ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), não compareceram ao depoimento no Ministério Público nesta terça-feira (8).Esta é a quarta vez que o MP tenta em vão ouvir alguém da família de Queiroz sobre as movimentações suspeitas em sua conta bancária, identificadas pelo Coaf. De acordo com o advogado da família, todos estão em São Paulo para acompanhar o pós-operatório de Queiroz que retirou um tumor no intestino, no Hospital Albert Einstein. Ele foi internado no dia 1 de janeiro e já recebeu alta.

  • Jorge Briard, presidente da Cedae

  • Márcio Pacheco será presidente da CCJ na chapa de Ceciliano

    Convidado por Wilson Witzel para ser o líder do governo na Assembleia Legislativa, Márcio Pacheco (PSC) decidiu apoiar André Ceciliano (PT) para a presidência da Alerj. Ceciliano é o presidente em exercício e tenta permanecer na cadeira no próximo biênio. A divergência partidária — Pacheco é do Partido Social Cristão; Ceciliano, do PT — foi superada. Pacheco presidirá a importante Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do parlamento fluminensena nova mesa diretora liderada por Ceciliano. A eleição para a mesa diretora da Alerj ocorrerá em fevereiro. Confira abaixo a entrevista concedida por Pacheco a Paulo Cappelli de O GLOBO

  • Sem dinheiro, Sérgio Cabral tem dificuldade para pagar advogados

    O troca-troca de advogados de Sérgio Cabral está relacionado à absoluta falta de recursos da família. As negociações com escritórios de advocacia tem sido complicadas. De um lado, as propostas de honorários são vorazes dada a complexidade do caso e à desconfiança de que Cabral ainda tenha grande fortuna; de outro, a realidade: neste momento, a família não tem conseguido atender às exigências estratosféricas das bancas, pois os recursos sem exceção foram bloqueados e os principais amigos que estavam ajudando no pagamento dos honorários – Paulo Melo, Jorge Picciaini, Edson Albertassi e André Correa – hoje também estão presos.

  • CASO QUEIROZ: Flávio ainda não respondeu ao convite do MP

    Apesar de ter afirmado que está “à disposição das autoridades” para contribuir com a investigação sobre o ex-assessor Fabrício Queiroz , o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) ainda não respondeu ao convite do Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) para prestar depoimento na quinta-feira.Por ser parlamentar, Flávio Bolsonaro pode indicar a data em que deseja ser ouvido, o que também não fez, segundo o MP-RJ informou.

  • No quinto dia, Bolsonaro já estressa o mercado

    O quinto dia do novo governo foi marcado por enorme estresse entre o presidente Bolsonaro e o mercado, esta entidade abstrata que tenta regular tudo e todos em direção a um mundo absolutamente privatista. O conflito pôs a nu o Bolsonaro que fazia profissão de fé no nacionalismo do Exército Brasileiro e o outro, o candidato que se mostrou no curso da campanha convertido ao receituário neoliberal de Paulo Guedes.

  • Rodrigo Amorin: "Aldeia Maracanã é lixo urbano"

    Epicentro dos protestos de 2013, a Aldeia Maracanã, que abrange o prédio onde até 1977 funcionou o Museu do Índio, está novamente envolta em polêmica. Eleito o deputado estadual mais votado do Rio, Rodrigo Amorim (PSL) afirma que o terreno de 14,3 mil metros quadrados é um “lixo urbano” e que é necessária uma “faxina” no local para “restaurar a ordem”. Aliado do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Amorim também usou o termo "restaurar a ordem" para retirar a placa com o nome de Marielle Franco que, em homenagem à vereadora, havia sido afixada sobre a placa que indicava a Praça Floriano, em frente à Câmara Municipal.

  • POLÊMICA: Conselho de Segurança não pode ter juízes

    Em seu primeiro dia como governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC) cumpriu sua promessa de campanha e extinguiu a Secretaria de Segurança Pública. Para substituí-la, criou o Conselho de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (Consperj), composto, entre outros, de magistrados e integrantes do Ministério Público.No entanto, a única função adicional que os profissionais dessas carreiras podem exercer é a de magistério. Como o posto no conselho tem natureza política, é inconstitucional e ilegal indicar juízes e membros do MP para esses cargos, apontam especialistas ouvidos pelo site Consultor Jurídico.

  • Carro de Washington é atacado a tiros em área do tráfico

    O carro onde estava Washington Reis (MDB), prefeito de Duque de Caxias, foi atingido por disparos de armas de fogo na tarde desta sexta-feira (4). Ninguém da comitiva do prefeito ficou ferido. Segundo Reis, um dos criminosos foi baleado.A informação do ataque foi inicialmente foi divulgada pela prefeitura do município da Baixada Fluminense, e depois confirmada pela Polícia Militar, que não citou feridos.

  • Ceciliano unifica a Alerj e deve ser reeleito

    A candidatura de André Cecilano à presidência da Alerj avança e hoje é quase unanimidade

  • Cedae ainda sem novo presidente

    O governador Wilson Witzel foi empossado há dois dias, mas ainda pairam dúvidas sobre quem comandará a Cedae em sua gestão.

  • Juíza decreta prisão do filho de Jorge Felippe

    A Juíza Yedda Christina Filizzola, do 2° juizado de Violência Doméstica de Bangu, decretou a prisão temporária Fábio Tuffy Felippe, de 44 anos, filho do presidente da Câmara dos Vereadores do Rio, Jorge Felippe (MDB), por lesão Corporal decorrente de violência doméstica e ameaça.

  • Fetranspor sofre duro revés e pode ser extinta

    Apontada historicamente como uma entidade de relações promíscuas coma classe política, a Fetranspor sofreu hoje o seu mais duro revés. Em nova ação civil pública, o Ministério Público solicitou a dissolução da entidade, por ter sido” utilizada para facilitar ou promover práticas de atos que corromperam agentes públicos”. Na mesma ação, o MP pede a proibição de contratação com o poder público, e a proibição de receber incentivos, subsídios, subvenções, doações ou empréstimos de órgãos ou entidades públicas e de instituições financeiras públicas.

  • Contra Maia, Freixo se lança candidato à presidência da Câmara

    O deputado federal eleito Marcelo Freixo (PSOL-RJ) confirmou sua candidatura à Presidência da Câmara em oposição ao atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tentará a reeleição. O anúncio foi uma reação ao acordo de Maia com o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro. "Sou candidato à presidência da Câmara dos Deputados por um amplo campo republicano e democrático que lutará para resgatar o espírito da Constituição. Vamos enfrentar a agenda de Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia que aprofundará ainda mais as desigualdades no país", afirmou Freixo pelo Twitter.

  • Apoio do PSL a Rodrigo Maia fortalece a idéia de chapa única na Alerj

    A decisão do PSL de apoiar a candidatura de Rodrigo Maia à presidência da Câmara pode produzir consequências muito além de Brasília. O gesto foi tomado como uma espécie de rendição do presidente Bolsonaro à necessidade de composição política para garantir a governabilidade. No Palácio Guanabara, a notícia foi interpretada por alguns dos mais importantes assessores do governador Witzel como lição a ser seguida. Para o grupo, a decisão da cúpula nacional do partido de Bolsonaro seria um claro indicativo de que o governo não deve se imiscuir na disputa interna da Assembléia do Rio.

  • Dornelles passa o cargo a Witzel com elogios a Pezão

    Em cerimônia agora hoje a tarde no Palácio Guanabara, o governador em exercício dos últimos dois meses Francisco Dornelles transmitiu o cargo ao governador eleito Wilson Witzel, não sem antes render homenagens ao ex-governador Luiz Fernando Pezão, preso em desdobramento da Lava Jato no Rio. Fiel ao princípio da lealdade, Dornelles fez questão de enfatizar a importância de Pezão na construção de saídas para recuperação fiscal do Governo do Estado.

  • Jorge Felippe é reeleito pela sexta vez para presidência da Câmara

    O recesso parlamentar foi suspenso para eleger a mesa diretora da Câmara de Vereadores que ficará no cargo pelos próximos dois anos. Os trabalhos começaram no fim da manhã. A nova mesa diretora foi eleita por unamidade. Jorge Felippe foi reeleito como presidente da Câmara de Vereadores pela sexta vez consecutiva. Apenas um nome é diferente da formação anterior.O Professor Rogério Rocal (PTB) assume a vaga que era ocupada por Cláudio Castro (PSC), que assumiu o cargo de vice-governador na terça-feira (1º)

  • MUDANÇA NA ALERJ: Chico Machado vai assumir mandato

    A composição da Assembléia Legislativa sofrerá nova mudança nos próximos dias: a validação dos 14.500 votos de Felipe Peixoto pelo TSE dará mais uma cadeira ao seu partido, o PSD. Quem assume é o ex-presidente da Câmara de Macaé Chico Machado, que obteve 30.067 votos. Em consequência, o PSL de Bolsonaro perde um representante: sai Pedro Ricardo, o menos votado do partido com 22.006 votos.

  • Governador Witzel receberá cargo de Dornelles agora à tarde

    Como decidiu acompanhar a posse do presidente Jair Bolsonaro em Brasília após tomar posse nesta terça-feira, Wilson Witzel (PSC) receberá o cargo de governador do Rio das mãos do ex-governador em exercício Francisco Dornelles apenas nesta terça. A cerimônia, no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, também empossará os secretários da nova gestão.

  • Diário oficial traz nomeações de secretários e segundo escalão do governo

    O governador eleito do Rio, Wilson Witzel, toma posse neste momento na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). ‘Deus abençoe nosso estado neste momento de renovação da nossa política', disse o novo governador ao entrar no Palácio Tiradentes , no Centro do Rio.Com 32 páginas, a primeira edição do Diário Oficial do estado de 2019, publicada nesta terça-feira, apresenta os atos iniciais do novo governador. O documento traz também as nomeações dos 21 secretários de estado.

  • Witzel chora e promete combate à corrupção e ao crime organizado

    Em um discurso de 20 minutos, durante a cerimônia de posse na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), o governador Wilson Witzel (PSC) assumiu os compromissos de "libertar o estado da corrupção" e "derrotar o crime organizado". O governador também colocou entre suas prioridades a racionalização de custos e a retomada do crescimento econômico do estado. Witzel traduziu o resultado das urnas como "o grito de milhares de mulheres e homens cansados da traição e dos atos de corrupção" e sentenciou: "não temos o direito de errar

  • Witzel já trabalha pela eleição de André Ceciliano na Alerj

    O jogo político pela presidência da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) uniu a esquerda representada por André Ceciliano (PT) e o governador eleito Wilson Witzel (PSC). A costura levaria à desistência pela corrida ao posto do deputado Márcio Pacheco (PSC), do mesmo partido do governador e alinhado ao PSL. Irritada, a bancada da mesma sigla do futuro presidente Jair Bolsonaro já articula uma candidatura própria. A reação é porque os deputados do PSL não concordam com um nome da esquerda na presidência da Casa.A informação é de Walesca Borges, do Jornal do Brasil.

  • Crivella enquadra Rio Ônibus e nega reajuste de passagens

    A Prefeitura do Rio de Janeiro comunicou, neste sábado, que não vai autorizar o reajuste do preço da passagem de ônibus na cidade.Por meio de uma nota, a Prefeitura informou que os consórcios encarregados do Serviço Público de Transporte na cidade não cumpriram a meta de climatização de 60% da frota e não apresentaram integralmente os documentos comprobatórios de regularidade fiscal das empresas, assim como os balancetes trimestrais de suas operações contábeis e financeiras no ano.

  • Defesa de Queiroz agora quer novos relatórios do Coaf

    Em mais uma manobra para ganhar tempo , a defesa de Fabrício Queiroz vai pedir ao Ministério Público acesso a novos relatórios que teriam sido produzidos pelo Coaf, detalhando movimentações financeiras do ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro na Alerj. Queiroz ainda não conversou de forma detalhada sobre a entrada e saída de dinheiro na sua conta, consideradas atípicas, nem mesmo com seu advogado, Paulo Klein. Depois de quatro cancelamentos, ele só deverá prestar depoimentos ao MP após se submeter a uma cirurgia e ser liberado pelos médicos.

  • Merval e o jornalismo de fancaria

    Com o título "Democratas de fancaria", a coluna de Merval hoje em O Globo faz enorme esforço retórico para desmerecer o PT e igualá-lo ao PSDB, que derrotado em 2013, entrara com ação no TSE , através de Aécio, pedindo a anulação da vitória de Dilma. Num contorcionismo vergonhoso, Merval cita uma ação do PT impetrada no curso da campanha, entre o primeiro e o segundo turnos, pedindo a impugnação da chapa de Bolsonaro por abuso do poder econômico. Ora, ora, ora!!!Essa ação se deu no curso da campanha, na calor da disputa, quando são absolutamente normais escaramuças na Justiça Eleitoral.

  • Dornelles prorroga estado de calamidade financeira

    O governador em exercício do Rio Francisco Dornelles (PP) sancionou a Lei 8.272/18, publicada nesta sexta-feira (28) no Diário Oficial, que estabelece a prorrogação por um ano do estado de calamidade pública financeira no Estado do Rio de Janeiro, até 31 de dezembro de 2019.

  • Toffoli não aprecia habeas corpus de Rodrigo Neves. Deixa para Barroso

    O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, teve a decisão de seu habeas corpus adiada nesta sexta-feira (28). O pedido de soltura não foi apreciado pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, que alegou que o caso não é urgente para ser julgado durante o período de recesso.Neves está afastado da prefeitura desde o último dia 10, quando foi preso em sua residência, em Santa Rosa, Zona Sul de Niterói. Quem vai apreciar o caso do prefeito agora é o ministro Roberto Barroso, mas apenas após o fim de recesso forense.

  • TOFFOLI NEGA TRANSFERÊNCIA DE PEZÃO PARA PRISÃO COMUM

    Em nome da integridade física do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (MDB), o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, acatou pedido da defesa para que ele seja mantido no Batalhão Especial Prisional (BEP-PMERJ), em Niterói, Região Metropolitana do Rio.De acordo com Toffoli, há risco potencial a Pezão com a virada do ano, já que ele deixa o Executivo do Rio e perde a prerrogativa de foro por função. Toffoli negou o pedido de revogação da prisão. Pezão é o quarto governador do Rio a ser preso, mas o primeiro no exercício do mandato.

  • Ministro mantém proibição de repasses do Governo às empresas de ônibus

    O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro João Otávio de Noronha, manteve a suspensão de repasses ao transporte público coletivo intermunicipal do Rio de Janeiro, que custeavam a gratuidade no transporte de estudantes e pessoas com necessidades especiais.Segundo Noronha, é interesse da coletividade que os serviços sejam executados de forma lícita. Na decisão, o ministro considerou que o deferimento da suspensão de liminar deve acontecer quando demonstrada a ocorrência de grave lesão à ordem, à saúde, à segurança e à economia públicas.

  • COAF: Ceciliano e Luiz Paulo foram os únicos a procurar o MP

    Dos 22 parlamentares da Assembleia do Rio de Janeiro citados no boletim do Coaf, dois já procuraram, voluntariamente, o Ministério Público do Estado para apresentar esclarecimentos: André Ceciliano, do PT, e Luiz Paulo Corrêa da Rocha, do PSDB. A informação é de |Lauro Jardim, de O GLOBO.

  • MP processa Côrtes por superfaturamento das UPAS

    O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (GAECC/MPRJ), ajuizou ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o ex-secretário de Estado de Saúde, Sergio Côrtes, o ex-diretor executivo do Fundo Estadual de Saúde (FES), Maurício Passos, e a empresa Novo Horizonte Jacarepaguá. As investigações identificaram ilegalidades na contratação da Novo Horizonte Jacarepaguá como fornecedora de módulos habitacionais (conteiners) para a instalação de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). A escolha dos réus pelos módulos acarretou uma despesa 324% maior. As investigações constataram, ainda, direcionamento da licitação.

  • Com 5 conselheiros afastados, TCE não consegue analisar conta dos prefeitos

    Dos 91 prefeitos, apenas 32 tiveram as contas do ano passado julgadas. Outros 59 ainda aguardam as análises. Cinco conselheiros foram presos, depois liberados, mas foram afastados do Tribunal. A informação é de Cassio Bruno, em O Dia. O TCE-RJ teve o recesso de fim de ano suspenso para tentar pôr os trabalhos em dia. Os conselheiros que restaram estão sobrecarregados. Como são cargos vitalícios, cabe ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinar a ocupação das vagas abertas, o que, por enquanto, não ocorreu.

  • MP quer mais transparência nas contas de Búzios e Cabo Frio

    O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) três Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) com autoridades de Cabo Frio e Armação dos Búzios determinando a adequação dos portais da transparência de órgãos governamentais dos dois municípios.

  • Queiroz fala: "Sou um homem de negócios"

  • IMPRENSA SE CALA: CEDAE TEM LUCRO DE MAIS DE R$ 1 BILHÃO

    Um mergulho nos números da Cedae talvez explique as razões pelas quais há enorme e obscura pressão por sua privatização. Em 2018, a principal estatal do Governo do Rio deve gerar o lucro extraordinário de 1,1 bilhão. O número é resultado da eficiência da governança empresarial e da imunidade tributária reconhecida recentemente pelo Supremo Tribunal Federal. A gestão administrativa da atual diretoria deve gerar um resultado de R$ 500 milhões, 80% superior ao lucro de 2017, da ordem de R$ 280 milhões. A imunidade tributária será responsável por mais R$ 600 mihões

  • Dos três maiores estados, Rio é o que gasta menos com a Assembléia

    Dos três maiores e mais importantes estados brasileiros, o Rio de Janeiro terá o menor gasto com sua Assembléia Legislativa em 2019. A Alerj custará aos cofres públicos R$ 1,21 bilhão. A Assembléia de São Paulo tem previsão orçamentária de R$ 1,35 bilhão. E a de Minas Gerais de R$ 1,45 bilhão. A despeito das críticas de parte da imprensa, a Assembléia do Rio tem adotado política austera na admintraçao de seus recursos. Neste ano, a Alerj economizou R$ 358 milhões de um orçamento de R$ 1,04 bilhão.

  • DELAÇAO CONFUSA: Mais um advogado deixa defesa de Cabral

    O advogado João Bernardo Kappen deixou as negociações de acordo de delação premiada do ex-governador do Rio Sérgio Cabral com o Ministério Público Federal. Kappen foi o segundo a abandonar o ex-governador nesta semana. Antes, o advogado Rodrigo Roca confirmou não fazer mais parte da defesa do político. Segundo o jornal O Globo, Kappen havia recebido, há duas semanas, uma procuração do ex-governador para que ele o representasse nas conversas com autoridades. Ainda de acordo com a publicação, Cabral pretende delatar corrupções no âmbito do Poder Judiciário e ex-membros da chefia do Ministério Público do Rio de Janeiro, além de informações sobre a organização dos Jogos Olímpicos de 2016.

  • EM DELAÇÃO, CABRAL VAI LEVAR LAVA JATO PARA O JUDICIÁRIO

    A delação premiada do ex-governador Sérgio Cabral vai finalmente levar a Lava Jato para o Judiciário, único poder preservado até o momento. Cabral deve contar detalhes de sua relação promíscua com juízes, desembargadores e ministros no exercício do poder.O fato de sua esposa, Adriana Ancelmo, ser do meio e ter comandado uma razoável banca de advogados o fez transitar em inúmeras situações de troca de favores com representantes do Judiciário.

  • Bolsonaro vai passar Natal na base de Marambaia

    O presidente eleito, Jair Bolsonaro, deixou sua casa na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, na manhã deste sábado, rumo à base da Marinha na Restinga da Marambaia, no litoral fluminense. Ele passará o Natal no local e só retornará no dia 27 de dezembro. Segundo sua assessoria, Bolsonaro não cumprirá agenda de trabalho durante esses dias.

  • CASO JEAN WYLLYS: Frota zomba de juíza e é processado de novo

    O deputado federal eleito Alexandre Frota (PSL-SP) e um grupo de seguidores de sua página na rede social Facebook serão processados por ofensas à juíza federal Adriana Freisleben de Zanetti, da 2ª Vara de Osasco.Na última terça (18), a magistrada condenou Frota por injúria e difamação por ter publicado em suas redes sociais uma foto do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) com a fase "a pedofilia é uma prática normal em diversas espécies de animal (sic), anormal é o seu preconceito". Wyllys nunca disse tal frase. O ex-ator pornô reagiu zombando da decisão nas redes sociais

  • Cármen Lucia nega habeas corpus a Jorge Picciani

    A ministra Cármen Lúcia, do Supremo, julgou inviável o Habeas Corpus (HC) 150947, por meio do qual a defesa do deputado estadual do Rio Jorge Picciani (MDB) pretendia a revogação de sua prisão preventiva. A tramitação do HC foi negada porque o objeto de questionamento é decisão liminar de ministro do Superior Tribunal de Justiça.As informações estão no site do Supremo – Processo relacionado: HC 150947.

  • Queiroz pode ser levado coercitivamente a depor ao MP

    A reiterada ausência do ex-assessor de Flávio Bolsonaro (PSL), Fabrício Queiroz, ao depoimento, agendado para hoje, para esclarecer a movimentação atípica de valores em sua conta bancária, trouxe inquietação e desapontamento entre os integrantes do Ministério Público, que passaram a cogitar a possibilidade de solicitar a condução coercitiva do investigado. O ex-assessor faltou pela segunda vez ao depoimento. A defesa de Queiroz alegou novamente motivos de saúde para não aparecer na oitiva. O silêncio de Queiroz está levando o problema para o colo de Flávio Bolsonaro. Os procuradores já informaram que agora ele também será chamado a prestar esclarecimentos sobre o caso, no dia 10 de janeiro. Queiroz já havia faltado na oitiva do dia 19.

  • GILMAR ENQUADRA BRETAS. Ministro determina que imóvel possa ser usado para saldar multa

    O ministro Gilmar Mendes, do Supremo, determinou ao juiz da 7.ª Vara Federal Criminal do Rio. Marcelo Bretas, que aceite dois imóveis como parte do pagamento da fiança de R$ 10 milhões imposta ao doleiro Ernesto Matalon – permitindo, assim, que a prisão preventiva do doleiro seja substituída por medidas cautelares alternativas. Matalon já entregou o passaporte e está proibido de ter contato com outros acusados, mas sua defesa alegou que ele ‘não tem condições de pagar a totalidade da fiança em dinheiro, já que todos seus bens estão bloqueados’.As informações estão no site do Supremo – Processo relacionado: HC 162780.

  • Bebiano anuncia intervenção nos hospitais federais para combater quadrilhas

    O futuro ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, disse ao Estado que o governo Jair Bolsonaro fará uma “intervenção imediata” nos hospitais do Rio com gestão federal. Segundo ele, esses hospitais seriam dominados por milicianos e uma atuação serviria de “paradigma”. O Rio tem seis hospitais e quatro institutos subordinados ao Ministério da Saúde. Até 31 deste mês, a segurança pública do Estado estará sob intervenção federal, ainda sem definição de como ficará a partir de 2019.

  • Acusado de corrupção, Moreira deve cair nas mãos de Bretas

    Após deixar o governo em 1º de janeiro, o ex-governador do Rio e atual ministro Moreira Franco começará enfrentar a Justiça. Acusado de corrupção, a investigação solicitada nesta semana pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, na 7ª Vara Federal Criminal do Rio, se aceita, será encaminhada ao juiz Marcelo Bretas. A ação atinge também o presidente Michel Temer, que estaria igualmente envolvido no caso. A informação é de Bernardo Mello Franco, de O GLOBO. O caso envolve o pagamento de R$ 1,1 milhão em propina em troca de um contrato para a construção da usina nuclear Angra 3. De acordo com a Raquel Dogde, os pagamentos indevidos foram "solicitados pelo ministro Moreira Franco, com anuência de Michel Temer", e por João Batista de Lima Filho.

  • Ativos da Cedae foram avaliados em 19 bilhões pela FGV. Imprensa estimulava a venda da empresa por R$ 3 bilhões. Quem estaria ganhando?

    Vejam como nossa imprensa é irresponsável e alguns políticos criminosos. Nesta semana, a Cedae, por exigência da CVM, recebeu da Fundação Getúlio Vargas, um estudo sobre a atualização de seus ativos. Foram avaliados em R$19 bilhões de reais. Pois bem, há cerca de 5 meses discutia-se a possibilidade de se privatizar a empresa por R$ 3 bilhões de reais. O mais incrível e estarrecedor é que a nossa imprensa tratava o assunto como absolutamente normal, de modo acrítico como se estivesesmos diante de uma operação regular. Para o bem dos cariocas, a Cedae não foi privatizada, a despeito do apoio manifesto de quase todos os veículos de comunicação. Por esta e por outras, a credibilidade da imprensa cai ladeira abaixo e o faturamento idem.

  • MP pede agora o afastamento cautelar de Waguinho da Prefeitura de Belford Roxo

    O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Sonegação Fiscal e aos Ilícitos Contra a Ordem Tributária (GAESF/MPRJ), ajuizou ação civil pública por atos de improbidade administrativa, em que pede o afastamento cautelar do prefeito de Belford Roxo, Wagner dos Santos Carneiro, o Waghuinho, dentre outras medidas.

  • ALERJ: Ceciliano e Pacheco caminham para o entendimento

    Ao contrário do que tem sido noticiado é cada vez menos provável uma disputa acirrada entre os dois principiais candidatos à presidência da Assembléia. André Ceciliano (PT) e Marcio Pacheco (PSC) caminham para um entendimento, com o beneplácito do Palácio Guanabara. O poderoso secretário de desenvolvimento econômico e geração de emprego, Lucas Tristão, tem trabalhado nos bastidores para evitar um esgarçamento entre parlamentares de centro inclinados a apoiar o governo.Os outros dois candidatos, Tia Ju (PRB) e Chicão Bulhões estão fora do jogo e se movimentam apenas para se cacifarem para obtenção de cargos importantes na Mesa Diretora.

  • MARCO AURÉLIO, O GUARDIÃO DA CONSTITUIÇÃO

    A decisão do Ministro Marco Aurélio de libertar todos os presos condenados em segunda instância, entre os quais o ex-presidente Lula, recolocou por algumas horas o Supremo Tribunal Federal novamente como guardião do texto constitucional.

  • STJ NEGA HABEAS CORPUS A RODRIGO NEVES

    O ministro Rogério Schietti Cruz, do Superior Tribunal de Justiça, negou nesta quarta-feira, 19, pedido liminar em habeas corpus ao prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT). O chefe do Executivo foi preso dia 10 pela Operação Alameda, desdobramento da Lava Jato deflagrado pelo Ministério Público do Rio, por meio da Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Criminais e de Direitos Humanos e do Grupo de Atribuição Originária em Matéria Criminal.

  • CHIQUINHO DO ATACADÃO É CONDENADO PELA "FARRA DOS COLCHÕES"

    O ex-prefeito de Araruama Francisco Carlos Fernandes Ribeiro, o Chiquinho do Atacadão,, marido da atual prefeita da cidade, Lívia Bello do PDT, foi condenado por improbidade administrativa nesta semana pela compra irregular de 334 colchonetes em 2004, quando estava à frente do executivo. O episódio, conhecido como Farra dos Colchões, teve somente agora desfecho final com a recusa dos embargos de declaração do acusado pela juiz da primeira civil de Araruama A empresa vencedora da licitação não tinha em seu objeto contratual a venda do material licitado.

  • Raquel Dodge quer que Hudson Braga volte para cadeia

  • Deputados já pedem habeas corpus a Gilmar Mendes para passar Natal em casa

    Os deputados presos Marcos Abrahão (Avante), Coronel Jairo (SD) e Chiquinho da Mangueira (PSC), o ex-secretário de Governo do Rio Affonso Monnerat e a ex-assessora da Assembleia do Rio (Alerj) Andreia Nascimento, presos pela Operação Furna da Onça, já pediram que seus habeas corpus sejam analisados pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). As solicitações foram feitas após o presidente da Corte máxima, Dias Toffoli, redistribuir para Gilmar a relatoria de todos os processos ligados à Furna da Onça

  • REVIRAVOLTA : Gilmar vai assumir todos os casos da Furna da Onça

    A defesa do deputado Andre Correa conseguiu hoje uma importante vitória, que poderá mudar o curso da operação Furna da Onça. O presidente do STF, Dias Toffoli, entregou ao ministro Gilmar Mendes a relatoria do caso, antes nas mãos da ministra Carmen Lúcia. A decisão é mais um round da guerra surda instalada na Suprema Corte entre legalistas – intransigentes defensores das garantias individuais do texto constitucional – e punitivistas, que advogam a aplicação de penas rigorosas para atender ao clamor popular. Com a mudança, a expectativa é de que algumas prisões possam ser revistas, especialmente os casos em que o Ministério Público não avançou nas investigações, limitando-se a fundamentar a acusação a partir do conteúdo de delações.

  • Rio tem apenas dois cursos de direito avaliados com nota máxima

    O Rio tem duas universidades com curso de direito consideradas cinco estrelas pelo Guia do Estudante. Somente 21 universidades brasileiras obtiveram também a nota máxima. O número das bem avaliadas cresceu: em 2018, foram 17 faculdades entre as melhores do país

  • Difamação e injúria: Jean Wyllys derrota Frota na Justiça

    A Justiça Federal em Osasco, na Grande São Paulo, condenou o ator Alexandre Frota, eleito deputado federal pelo PSL-SP, a multa de mais de R$ 295 mil por difamação e injúria por ter atribuído publicamente uma fala falsa sobre pedofilia a Jean Wyllys, também deputado federal, mas pelo PSOL-RJ.

  • Rainha de bateria da Viradouro vira primeira dama em Nikiti

    O mundo da política acordou, na última segunda-feira, com mais uma prisão em terras fluminenses. E o mundo do samba despertou com uma rainha de bateria se transformando em primeira-dama.

  • Governador e deputados são diplomados pelo TRE

    O governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), e o vice-governador eleito, Cláudio Castro, foram diplomados na manhã de hoje (18) pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro. A cerimônia ocorreu no auditório da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro e diplomou também os senadores eleitos, Flávio Bolsonaro (PSL) e Arolde de Oliveira, além de seus suplentes e dos deputados federais e estaduais eleitos no Rio de Janeiro.

  • MP pede cassação do prefeito Tubarão, de Magé, por abuso do poder político

    O Ministério Público Eleitoral no Rio de Janeiro pediu a cassação e a inelegibilidade por oito anos do prefeito de Magé (RJ), Rafael Tubarão (PPS), e do deputado estadual eleito e atual vice-prefeito da cidade, Vandro Família (Solidariedade), por abuso de poder político e conduta vedada aos agentes públicos. Eles são acusados de distribuir cestas básicas aos servidores comissionados do município, que custaram cerca de R$ 3,5 milhões, para promover a candidatura de Vandro ao legislativo fluminense.

  • Flávio Bolsonaro afirma: "Queiroz é que tem que se explicar"

    O senador eleito pelo Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro, afirmou na manhã desta terça-feira (18) que a movimentação atípica encontrada pelo Coaf nas contas de seu ex-assessor, Fabrício Queiroz, deve ser explicada por ele e que todos os funcionários trabalham em seu gabinete. Ele foi questionado quando chegava à cerimônia de diplomação para o cargo, no Centro da capital fluminense.“A movimentação atípica é na conta dele. No meu gabinete todo mundo trabalha", destacou o senador.

  • Deputados presos serão diplomados por procuração no TRE

    Governador, vice, deputados e senadores eleitos para representar o povo fluminense serão diplomados hoje numa situação inédita. Dos 120 políticos escolhidos pelas urnas em outubro último, seis foram presos e terão que ser representados por procuração.O número representa 5% dos escolhidos pelos eleitores. A posse deles, marcada para fevereiro, pode se estender até abril e ainda é uma incógnita.

  • Justiça condena Garotinho e Rosinha por ofensas a Zveiter

    A Justiça do Rio de Janeiro deu razão a Luiz Zveiter em mais um processo do ex-presidente do Tribunal de Justiça do estado contra Anthony e Rosinha Garotinho. A informação é de Lauro Jardim, de O GLOBO. Na ação, Zveiter acusa o casal de injúria. Cita três publicações do blog de Garotinho. Entre elas, "A escandalosa operação chequinho", que sugere o envolvimento de Zveiter em crimes de ameaça e constrangimento ilegal.

  • CORRUPÇÃO: Polícia faz busca e apreensão na prefeitura de Arraial

    O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Polícia Civil cumprem hoje (18) 16 mandados de busca e apreensão em Arraial do Cabo, inclusive na sede da Prefeitura do município da Região dos Lagos fluminense. Os mandados são parte da investigação de um esquema de fraude em contratos públicos.

  • PÂNICO ENTRE POLÍTICOS COM A POSSIBILIDADE DE NOVAS PRISÕES

    A possibilidade de novas operações da Polícia Federal, desdobramento da Lava Jato, está provocando pânico na classe política no Rio. Hoje, a tensão chegou ao grau máximo com especulações intensas sobre uma possível ação nesta semana. Os corredores do poder fervilharam durante toda a tarde com apostas sobre eventuais prisões que estariam programadas para esta semana. O pânico mudou hábitos; provocou o cancelamento de agendas e a desmarcação de entrevistas programadas com antecedência. “Neste momento de incertezas, o melhor é ninguém falar nada”, aconselhava um experiente deputado ao lado de um colega estreante.

  • MP pede liminar para impedir a posse de Vinicius Farah

    A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro (PRE/RJ) processou o deputado federal eleito Vinícius Farah (MDB) e outras três pessoas, sendo dois servidores públicos, por abuso de poder político e econômico e conduta vedada nas eleições deste ano. A PRE pediu em liminar que o ex-prefeito de Três Rios (RJ) e ex-presidente do Detran/RJ não seja diplomado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RJ) e não tome posse.

  • Mesmo sem provas, Dodge defende que Pezão continue preso

    Mesmo sem apresentar provas concretas de que o Governador Pezão tenha efetivamente recebido vantagens indevidas, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou nesta segunda-feira manifestação ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) defendendo que ele continue preso. De acordo com Raquel Dodge, a prisão temporária é a "única forma de impedir que ilícitos desta gravidade se acentuem ao final do ano".

  • Witzel anuncia corte de gastos de 30% nas secretarias

    O futuro governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), afirmou a empresários reunidos na sede da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), que seu governo está comprometido com a redução da carga tributária e com o corte de gastos para reequilibrar as contas estaduais. Disse ter ordenado a todas as pastas que reduzam despesas na ordem de 30%.

  • Oposição quer pedir CPI sobre "caixinha" do gabinete de Flávio

  • TJ derruba emenda que impedia eventual privatização da Cedae

    O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio derrubou, na tarde desta segunda-feira, por 17 votos a 5, a emenda aprovada pela Assembleia Legislativa que impedia a venda da Cedae . A maioria dos desembargadores seguiu o voto do relator do processo, José Roberto Lagranha Távora, que deu decisão favorável ao governo do estado. O Palácio Guanabara acionou a Justiça logo após a promulgação da emenda pela Assembleia Legislativa, na última terça-feira (11).

  • Bolsonaro e Washington Reis inauguram escola militar em Caxias

    O presidente eleito Jair Bolsonaro participou na manhã desta segunda-feira (17) da inauguração do 3º Colégio da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro Percy Geraldo Bolsonaro. O nome da escola é uma homenagem ao pai dele, falecido em 1995.A homenagem foi feita pelo prefeito de Duque de Caxias, Washington Reis, após contrato firmado entre a Polícia Militar e a prefeitura do município. O colégio iniciará as atividades em fevereiro de 2019.

  • O ESQUEMA DOS SALÁRIOS: MP vai fazer devassa também na Câmara de Vereadores do Rio

    O Ministério Público do Rio deve deflagrar nos próximos dias ampla investigação nas câmaras municipais para verificar o repasse de salários entre funcionários e vereadores. A devassa deve começar pela Câmara do Rio, onde a prática teria se disseminado nos últimos anos. Com 51 vereadores, entre os quais Carlos Bolsonaro, filho do presidente eleito, há cerca de 20 funcionários em cada gabinete, totalizando mais de 1000 mil servidores comissionados de livre nomeação pelos parlamentares.

  • MINC REAGE: "Denúncia é requentada e visa a tirar o foco das acusações contra Bolsonaro"

    Em nota nesta manhã, em resposta à denúncia do criminoso confesso Carlos Miranda, de que recebera propina da Queiroz Galvão, o deputado Carlos Minc afirma que a informação é requentada, fora objeto de matéria da Rede Globo há seis meses, e não tem a menor consistência. Para Minc, a denúncia refeita agora como novidade visa a criminalizar à classe política de modo geral e tirar o foco das graves acusações que pairam sobre a família Bolsonaro.

  • Amigos tentam entregar bíblia a Pezão

    O martírio do governador Luiz Fernando Pezão tem despertado a solidariedade de alguns de seus fiéis amigos e eleitores. Nesta semana, como registrou Ana Cláudia Guimarães, do GLOBO Niterói, um pequeno grupo fazia plantão na porta do Batalhão Especial Prisional da PM para tentar entregar ao governador uma bíblia.

  • Miranda, criminoso confesso, agora acusa Minc

  • Witzel já se prepara para disputar a presidência em 2022

    O governador eleito Wilson Witzel está se preparando para se candidatar à presidência da República em 2022. Da mesma forma que se mostrava confiante na eleição ao Governo do Rio, quando era desconhecido e ainda tinha 1% das intenções de voto, Witzel começa a dar mostras de que sua ascensão ao cargo máximo da República é inexorável. A informação é de Ascâncio Saleme em sua coluna hoje em O Globo.

  • Prisão de Rodrigo Neves violenta o estado de direito, diz defesa

  • TJ mantém preso prefeito de Japeri, acusado de tráfico de drogas

  • Funcionários do gabinete de Flávio repassavam até 99% dos salários

  • Nassif põe sob suspeição denúncias de O GLOBO contra Crivella e Siro Darlan

    Em artigo hoje em seu blog, o jornalista Luis Nassif mostra que duas denúncias publicadas recentemente pelo jornal O Globo não tinham qualquer procedência e visavam a atender outros objetivos que não esclarecer efetivamente os leitores. A matéria requentada com acusações contra o desembargador Siro Sarlan foi publicada no dia em que ele disputaria uma vaga na câmara superior do Tribunal de Justiça e visava tira-lo do jogo. Já as acusações contra Marcelo Crivella, invalidadas pelo STF, tinha como objetivo tão somente criar incompatibilidades políticas para o prefeito, emprestando caráter religioso a uma reunião absolutamente normal, fato comprovado pelo presidente do STF, Dias Tofolli.

  • STJ deve julgar amanhã habeas corpus de Rodrigo Neves

    Preso desde a última segunda-feira, 10, por conta exclusivamente de uma delação, o prefeito Rodrigo Neves tem chances reais de ser solto nos próximas dias. A defesa do prefeito protocolou no Superior Tribunal de Justiça (STJ), no final da tarde de sexta-feira, pedido de habeas corpus..O ministro sorteado, Rogèrio Schietti, da 6ª Turma, tem perfil legalista e, em várias ocasiões, já se opôs ao punitivismo desmedido que tem prevalecido em decisões de parte do Judiciário..

  • Após 13 depoimentos, Cabral se cala diante de Marcelo Bretas

    Após se defender em 13 interrogatórios, o ex-governador Sérgio Cabral decidiu permanecer em silêncio em audiência nesta sexta-feira (13) da ação penal em que é acusado de receber R$ 145 milhões em propina de empresas de ônibus."Vou optar por me manter em silêncio", afirmou ele, de forma breve, ao juiz Marcelo Bretas no início do interrogatório.

  • Alerj doa ao Governo do Estado R$ 120 milhões para ajudar pagar o 13º

    O presidente em exercício da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), deputado André Ceciliano (PT), entregou ontem cheque de R$ 120 milhões ao governador em exercício, Francisco Dornelles. O valor, fruto da economia do orçamento anual do Legislativo, é uma contribuição da Casa para o pagamento do décimo terceiro salário ao servidor público programado para esta sexta-feira (14/12).

  • DIRETO AO PONTO. Não haverá impeachment de Pezão

    Como era esperado, não haverá impeachment de Pezão, pois os prazos regimentais impedem a conclusão do processo neste ano, quando termina o mandato do Governador. A decisão da Assembléia Legislativa de acolher a abertura do processo de impedimento visa tão somente a respeitar decisão judicial neste sentido. O trabalho não terá consequência prática.

  • No Rio, Tofolli defende volta do protagonismo da classe política

    Em evento hoje no Rio, estado onde a operação Lava Jato abateu as principais lideranças políticas, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro José Antonio Dias Toffoli, que ‘chegou a hora da política voltar a conduzir o País e de o Judiciário perder o protagonismo que ganhou nos últimos anos’.“O Legislativo legisla para o futuro, o Executivo para o presente, e o Judiciário o passado. Se tudo vai parar no Judiciário, é porque as outras instâncias falharam. Não pode tudo parar no Judiciário”, criticou o ministro em evento na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan).em comemoração aos 30 anos da Constituição.

  • MP Federal denuncia Cabral e 10 deputados estaduais

    Ministério Público Federal (MPF) denunciou, nesta sexta-feira, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, dez deputados estaduais e mais 17 pessoas por um esquema de propinas na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Entre os demais denunciados estão secretários e ex-secretários estaduais, deputados e assessores parlamentares.

  • Toffoli garante que Crivella não praticou irregularidade no "caso Márcia".

    O Supremo Tribunal Federal (STF) pôs abaixo as acusações publicadas pelo GLOBO de que o prefeito Marcello Crivella estaria usando o cargo para favorecer grupos políticos ou religiosos. A denúncia ficou conhecida como “caso Márcia”, referência a uma assessora do prefeito. O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, suspendeu ontem a liminar do juiz Rafael Cavalcanti Cruz, da 7ª Vara da Fazenda Pública do Rio, que proibia o prefeito de usar prédios públicos para, supostamente, “atividades de interesses pessoais ou de algum grupo”.

  • Generais querem esclarecer morte de Marielle até o fim da intervenção

    Os generais da cúpula da Segurança Pública decidiram colocar pressão máxima nas investigações da morte da vereadora Marielle Franco com o objetivo de esclarecer finalmente o crime até o final deste mês, quando termina a intervenção federal. A idéia é deixar a elucidação da morte da vereadora como um dos principais resultados do trabalho dos militares interventores.

  • Milícia matou Marielle por atrapalhar grilagem de terras na Zona Oeste

    A vereadora Marielle Franco (PSOL) foi morta porque milicianos acreditaram que ela podia atrapalhar os negócios ligados à grilagem de terras na zona oeste do Rio. O crime estava sendo planejado desde 2017, muito antes de o governo federal decidir decretar a intervenção federal no Rio. As revelações foram feitas pelo general Richard Nunes, secretário da Segurança Pública do Rio em entrevista ao O Estado de São Paulo.. Nunes, que assumiu a pasta no dia 27 de fevereiro, relatou os casos que encontrou na secretaria e diz que vários generais que vão assumir cargos na área no próximo ano procuraram o comando da intervenção no Rio para levar o modelo de gestão para outros Estados. Leia, a seguir, sua entrevista:

  • Racismo : Novotel condenado a pagar R$ 19 mil à hóspede discriminada

    O Novotel Rio Copacabana, no Rio de Janeiro, foi condenado a pagar indenização de R$ 19.080,00, por danos morais, a uma hóspede vítima de “tratamento discriminatório” em função da cor da pele. A sentença foi proferida, nesta terça-feira (11/12), pela juíza substituta do 4º Juizado Especial Cível de Brasília, Simone Garcia Pena.

  • MILÍCIA X PODER PÚBLICO : Polícia aborta plano para matar Marcelo Freixo

    Um policial militar e dois comerciantes foram citados num relatório confidencial da Polícia Civil como suspeitos de envolvimento num novo plano para executar o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL). Os três homens são ligados a um grupo de milicianos da Zona Oeste, investigado pela Divisão de Homicídios (DH) pelo assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes. A informação é de O Globo

  • Polícia Federal caça servidores fantasmas da Assembléia

    Um relatório da Polícia Federal baseado em interceptações telefônicas conclui que há indícios de um esquema de contratação de servidores fantasmas que repassariam parte de seus salários para deputados estaduais e assessores da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). As informações, publicadas hoje pelo Estadão, estão em um documento produzido pelo grupo de trabalho da PF responsável pelos casos relacionados à Lava Jato e que foi anexado à Operação Furna da Onça.

  • Câmara de Niterói rejeita impeachment de Rodrigo Neves

    Em clima tenso, os vereadores de Niterói rejeitaram na noite desta quarta-feira, por maioria de votos, instalar uma comissão processante que poderia cassar o mandato do prefeito Rodrigo Neves, preso na última segunda-feira na Operação Alameda, um desdobramento da Lava Jato no Rio.A sessão, marcada por tumulto e a presença de policiais militares, chamados para reforçar o policiamento, foi realizada para analisar três pedidos de impeachment protocolados na Casa depois da prisão do prefeito da cidade.

  • Martha Rocha preside comissão do impeachment de Pezão

    A comissão que vai analisar a denúncia de impeachment contra o governador Luiz Fernando Pezão (MDB) já escolheu sua presidente: Martha Rocha (PDT).

  • Grupo fascista invade Unirio e queima bandeiras

    Na noite da última segunda-feira, circulou nas redes sociais um vídeo em que um grupo autointitulado "comando de insurgência popular nacionalista", "da grande família integralista brasileira", aparece queimando bandeiras antifascistas, retiradas do campus da Unirio na Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo. O campus abriga o Centro de Ciências Jurídicas e Políticas (CCJP), com os cursos de Direito, Ciências Políticas e Administração Pública. As faixas antifascistas dos três cursos aparecem queimadas no vídeo.

  • Jacob Barata diz que só Brizola não pedia propina à Fetranspor

    O empresário do setor de ônibus Jacob Barata Filho disse que o setor repassou R$ 145 milhões ao ex- Sérgio Cabral, no período de 2010 a 2016. Ele depôs nesta quarta-feira (12) ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, no âmbito da Operação Ponto Final.Barata, que chegou a ser preso no Aeroporto Internacional do Galeão, quando estava prestes a viajar ao exterior. Segundo ele, quem tratava diretamente de pagamentos era o ex-dirigente da Fetranspor, José Carlos Lavouras, atualmente no exterior, foragido da Justiça. Barata contou a Bretas que a prática do pagamento de propinas a políticos era muito antiga no estado do Rio de Janeiro, e que ela só não ocorreu durante o governo de Leonel Brizola,

  • Justiça suspende repasses do Governo do Estado à Fetranspor

    A Fetranspor sofre novo abalo com decisão judicial que suspende repasses do Governo do Estado para custeio de gratuidades. Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Sonegação Fiscal e aos Ilícitos contra a Ordem Financeira, Tributária e Orçamentária (GAESF/MPRJ), obteve na Justiça decisão favorável à ação civil pública (ACP) que solicitou a suspensão dos repasses de recursos pelo estado, a título de custeio de gratuidades, à Fetranspor.

  • Romário faz viagens de lazer com passagens pagas pelo Senado

    Na semana seguinte ao primeiro turno das eleições, em que ficou em quarto lugar na disputa pelo governo do Rio, o senador Romário (PODE-RJ) passou o feriado de 12 de outubro em Florianópolis. As passagens, compradas com dinheiro público, custaram R$ 3,9 mil. Romário deixou Brasília em 11 de outubro rumo à ilha catarinense. No dia 14, ele voou de Florianópolis para o Rio de Janeiro, onde mora. Na volta ao estado fluminense, Romário foi acompanhado pelo servidor comissionado Fábio dos Prazeres Pinto, com passagem no valor de R$ 1,6 mil.

  • MP do Rio processa Uber por fraudes em cartões de crédito

    Uma ação do Ministério Público do Rio fez aumentar a preocupação dos usuários do aplicativo Uber no Rio, pois estão crescendo os casos de fraudes.O MP processou a Uber em R$ 500 mil por fraudes em cartões de créditos dos usuários.Segundo os procuradores do órgão, o sistema da Uber não apresenta a segurança esperada no cadastramento dos meios de pagamento de corridas. A informação é da coluna Radar de Veja

  • Coaf aponta movimentação estranha em gabinetes do PSOL, PT, PSC e PDT

    O relatório do Coaf (Conselho de Controle das Atividades Financeiras) que apontou movimentação atípica do policial militar Fabrício Queiroz, ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL), mencionou auxiliares de outros 20 deputados da Assembleia fluminense.Fazem parte da lista assessores de parlamentares de diferentes matizes ideológicas, do PSC ao PSOl passando pelo PT. A informação é portal Uol.

  • Partidos indicam nomes para comissão do impeachment de Pezão

    Dezoito partidos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) indicaram os nomes dos deputados que vão compor a comissão especial para emitir parecer sobre a denúncia por crime de responsabilidade contra o governador Luiz Fernando Pezão e o vice, Francisco Dornelles. A lista foi divulgada no Diário Oficial do estado desta terça-feira (11). No total, segundo a assessoria da Alerj, são 22 partidos, que têm até a meia-noite para indicar seus representantes.

  • Alerj aprova Fundo de Combate à Pobreza

    Em sessão extraordinária nesta terça-feira (11), a Assembleia aprovou, com emendas, a prorrogação do Estado de Calamidade Financeira e do Fundo Estadual de Combate à Pobreza. Os projetos seguem agora para a sanção de Francisco Dornelles (PP).As duas medidas, que vão dar um alívio ao governo de Wilson Witzel (PSC), só vão valer por um ano. O texto original enviado por Pezão (MDB) estendia o prazo até 2023.

  • Movimentos fazem aumentar a suspeição de que salários eram devolvidos

    A varredura do Coaf nas transações suspeitas de funcionários da Alerj identificou movimentos sincronizados de depósito e saque em dias subsequentes à data de pagamento dos servidores. A coincidência fez aumentar a suspeição de que parte dos salários era devolvida e centralizada numa conta - no caso de Queiroz - de pessoa de confiança do parlamentar.

  • Direita se articula para obter o impeachment de Rodrigo Neves

    Movimentos de direita, vinculados ao presidente eleito Jair Bolsonaro, estão se articulando em Niterói afastar qualquer possibilidade de o prefeito Rodrigo Neve voltar ao cargo, por conta de uma eventual decisão judicial de relaxamento de sua prisão. Dois pedidos de impeachment já foram protocolados na Câmara da cidade. Um por um vereador do PSL e outro pelo MBL

  • Desembargador Cláudio Mello Tavares é o novo presidente do TJ-RJ

    O desembargador Claudio de Mello Tavares foi eleito, nesta segunda-feira , presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro para o biênio 2019/2020. O magistrado recebeu 104 votos, contra 63 do desembargador Caetano Ernesto da Fonseca Costa. A eleição teve um voto nulo. O presidente eleito toma posse em fevereiro do ano que vem.Claudio de Mello Tavares é o atual corregedor-geral de Justiça do Rio. Tavares agradeceu a Deus e aos familiares pela vitória e disse que manterá sua atuação como tem feito no cargo de corregedor geral da Justiça.

  • Polícia Civil e MP fazem busca e apreensão na Prefeitura de Mesquita

    O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), a Polícia Civil e o Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) cumprem mandados de busca e apreensão na Prefeitura de Mesquita, na Baixada Fluminense, na casa do ex-secretário de governo da prefeitura, Bruno Daumas Ferreira dos Santos, na sede da empresa Nil Locações Ltda., e em outros três endereços.

  • Polícia Federal faz busca e apreensão em apartamentos de Aécio e de Cristiane no Rio

    A Polícia Federal e o Ministério Público Federal cumprem, nesta terça-feira (11), mandados de busca e apreensão em imóveis de Aécio Neves (PSDB-MG) e da irmã dele, Andréa Neves, e da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ no Rio de Janeiro. Atualmente senador, Aécio termina o mandato neste ano e no próximo assume uma vaga na Câmara dos Deputados.Agentes da PF foram até um prédio de luxo na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, Zona Sul do Rio, onde o senador e deputado federal eleito tem residência. A PF só conseguiu entrar no local às 7h10. Outra equipe está em um imóvel de Andréa em Copacabana, também na Zona Sul carioca.

  • Deputados articulam CPI para investigar Flávio Bolsonaro

    Deputados do PT, PCdoB e PSOL articulam a criação de uma CPI para investigar as transações financeiras feitas por assessores de Flávio Bolsonaro (PSL). A informação é Mauricio Lima, de O RADAR de Veja

  • Alerj promulga nesta terça derrubada do veto da Cedae

    A Assembleia Legislativa publicará nesta terça-feira a promulgação da derrubada do veto do governador Luiz Fernando Pezão referente à venda da Cedae. Na prática, a emenda aprovada pela Alerj impede que a empresa seja vendida e, segundo especialistas, põe em xeque o Regime de Recuperação Fiscal. Com a publicação do Diário Oficial da Alerj, a Procuradoria-Geral do Estado acionará o Tribunal de Justiça do Rio.

  • MP Federal manda para Ministério Público do Rio relatório do Coaf sobre Flávio Bolsonaro

    Ministério Público Federal ( MPF ) remeteu nesta segunda-feira ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro ( MP-RJ ) u ma cópia do relatório de inteligência financeira do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou movimentações suspeitas de funcionários da Assembleia Legistiva do Rio de Janeiro ( Alerj ). O relatório cita uma movimentação atípica de R$ 1,2 milhão, no intervalo de um ano, na conta de um ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL), eleito senador.

  • COM PRISÃO DE RODRIGO, NITERÓI PODE TER NOVAS ELEIÇÕES EM 90 DIAS

    Com a prisão do prefeito Rodrigo Neves (PDT), na manhã desta segunda-feira, na Operação Alameda, desdobramento da Lava-Jato, o município de Niterói poderá ter novas eleições nos próximos meses. É porque segundo a o artigo 61 da Lei Orgânica do Município (LOM) prevê que em caso de vacância do cargo de prefeito e inexistente vice-prefeito nos três primeiros anos do mandato, novas eleições serão feitas no prazo de 90 dias.

  • VOU DEFENDER MINHA HONRA, DIZ RODRIGO NEVES AO CHEGAR À CIDADE DA POLÍCIA

    O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, preso na manhã desta segunda-feira em uma operação do Ministério Público do Rio (MPRJ) e da Polícia Civil, desdobramento da Lava Jato no Rio, chegou por volta das 9h10 na Cidade da Polícia, no Jacarezinho. Em sua chegada, com lagrimas nos olhos, ele negou as acusações de recebimento de propina do transporte público."Vou defender minha honra, com respeito às instituições. Eu acho que foi uma decisão monocrática, isso poderia ser esclarecido sem uma decisão de força, mas respeito e espero que o estado democrático de direito funcione", disse.

  • PREFEITO RODRIGO NEVES É PRESO, COM BASE EM DELAÇÃO

    O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves (PDT-RJ), foi preso na manhã desta segunda-feira por policiais civis e por integrantes do Ministério Público do Estado do Rio, em uma operação batizada de Alameda. Agentes chegaram ao prédio em que ele mora, em Santa Rosa, por volta das 6h. Duas horas depois, o prefeito foi levado para a Cidade da Polícia, no Jacaré, na Zona Norte do Rio. O esquema envolvia o pagamento de propina por empresários do setor de transportes a agentes públicos da cidade. De acordo com a investigação do MP-RJ e da Polícia Civil, entre os anos de 2014 e 2018, foram desviados aproximadamente R$ 10,9 milhões dos cofres públicos para pagamentos ilegais. A ação é um desdobramento da Operação Lava Jato no âmbito estadual.

  • Prisão de Pezão violenta a Constituição Estadual do Rio

    A prisão do governador Luiz Fernando Pezão fez letra morta da Constituição estadual, que no artigo 147, inciso 2, parágrafo 3, estabelece que enquanto não sobrevier sentença condenatória, nas infrações penais comuns o governador do estado não estará sujeito à prisão. O mesmo artigo diz que se o Legislativo aceitar a denúncia, a ação penal por crimes comuns será julgada pelo STJ. O Supremo Tribunal Federal Federal tem entendimento contrário. Na Ação Direta de Inconstitucionalidade 1.022, os ministros definiram que as constituições estaduais não podem dar aos governadores a mesma imunidade que os presidentes da República têm. Só a Constituição Federal poderia fazê-lo.

  • Alexandre de Moraes nega habeas corpus para Pezão

    O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes negou o pedido de habeas corpus apresentado pela defesa do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão.

  • VEJA REVELA QUE DEPUTADOS QUEREM LEVAR FLÁVIO AO CONSELHO DE ÉTICA DA ALERJ

    Deputados estaduais do Rio de Janeiro avaliam encaminhar à Corregedoria da Assembleia Legislativa (Alerj) uma representação contra o colega Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). A informação foi publicada agora no site de Veja. A investigação se refere a denúncia da revista de que sete funcionários que passaram pelo gabinete do parlamentar fizeram depósitos na conta de outro ex-assessor de Flávio, Fabrício José Carlos de Queiroz. Os deputados suspeitam de que os funcionários tenham sido obrigados a abrir mão de parte de seus salários.

  • TRF-2 nega revogação da prisão de deputados da Furna da Onça

    O desembargador federal Abel Gomes, relator dos processos da Operação Furna da Onça (braço da Lava Jato), negou os pedidos de revogação das prisões dos deputados estaduais Marcus Vinicius Neskau (PTB) e Chiquinho da Mangueira (PSC). A mesma decisão também vale para os deputados Coronel Jairo (MDB) e Luiz Martins (PDT), que tentavam prisão domiciliar por motivos de saúde. A informação é de Cassio Bruno, em O Dia.

  • Generais acusam Witzel de politizar a segurança pública, revela Merval

    Os generais responsáveis pela intervenção no Rio acusam o governador eleito Wilson Witzel de adotar a perigosa prática de indicações políticas para o comando de delegacias e batalhões, que, por décadas, contaminou a segurança pública no Estado. A denúncia está na coluna de Merval Pereira, que, sem mencionar nomes, reproduz a apreensão da cúpula militar com o comportamento de Witzel.

  • Servidores de deputado faziam depósitos na conta de assessor

    Relatório do Coaf aponta que o ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL), senador eleito pelo Rio, recebeu depósitos em espécie e por meio de transferências de oito funcionários que já foram ou estão lotados no gabinete do parlamentar. De acordo com o documento, anexado às investigações da Operação Furna da Onça, o subtenente da Polícia Militar Fabrício José de Carlos Queiroz teve uma movimentação atípica de R$ 1,2 milhão de 01/01/2016 e 31/01/2017.

  • Vereadores de Angra se revoltam com viagem de Jordão a Israel

    Oficialmente, o prefeito foi conhecer usinas de dessalinização da água do mar. Nas redes sociais, a justificativa era diferente: ver de perto equipamentos, especialmente drones, para combater o crime organizado. O conflito de informações deflagrou uma crise na Câmara Municipal de Angra dos Reis, após a viagem a Israel do prefeito Fernando Jordão na comitiva do governador eleito Wilson Witzel.

  • Gilmar Mendes mandar soltar Wilson Carlos

    O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes determinou a soltura do ex-secretário do governo do Rio Wilson Carlos, que trabalhou na gestão do ex-governador do Rio Sérgio Cabral, que também está preso. A decisão é desta Sexta-feira

  • Foto de Pezão no Batalhão Prisional foi armada, desconfia cúpula da segurança

    As imagens do governador Luiz Fernando Pezão, de calção, chinelos e camiseta branca, durante cerimônia de hasteamento da bandeira no Batalhão Prisional da PM, trouxeram inquietação no gabinete do Secretário de Segurança, General Richard Neto. Há suspeição de que oficiais da Polícia Militar, num espécie de vendita política, tenham combinado com a REDE GLOBO local e horário para a produção da foto de Pezão preso com o objetivo de expô-lo à opinião pública.

  • MPF confirma movimentação financeira suspeita na Alerj

  • Maria Lúcia: "Vou provar a inocência de meu marido"

  • Itaipava pagava propina de R$ 500 mil a Cabral, diz delator Carlos Miranda

    Operador financeiro do ex-governador Sérgio Cabral (MDB), seu ex-assessor Carlos Miranda afirmou em delação premiada que o empresário Walter Faria, dono do Grupo Petrópolis (da cerveja Itaipava), pagava propina mensal de R$ 500 mil ao grupo político do ex-governador desde o início da gestão de Cabral, em 2007. Em troca, a empresa recebeu benefícios fiscais junto ao governo do Rio, segundo o delator. O Grupo Petrópolis nega as acusações.A informação é de O GLOBO.

  • Vices de Witzel e Paes se estranham no plenário da Assembléia

  • MPF pede cassação de Crivella por abuso de poder político

    Procuradoria Regional Eleitoral no Rio de Janeiro pediu ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RJ) a cassação do prefeito Marcelo Crivella (PRB), por uso indevido da máquina pública e abuso de poder político. Na ação, Crivella é acusado de promover evento usando estrutura do Palácio da Cidade, sede do governo municipal, para beneficiar a candidatura a deputado federal de Rubens Teixeira (PRB). A PRE pediu ainda que o prefeito e Teixeira sejam declarados inelegíveis oito anos, como dispõe a Lei da Ficha Limpa, e condenados a pagar multa.

  • BOLSONARO PARABENIZA PM QUE MATOU BANDIDO APÓS ASSALTO EM VALENÇA

    O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), comentou em sua rede social sobre o caso da idosa de 83 anos, que foi feita refém após um assalto a uma joalheria no Centro de Valença, no Sul do Rio de Janeiro. Em sua página, o politico parabeniza os policiais militares que participaram da ação e diz que a vida do cidadão de bem deve ser prioridade.

  • APÓS ACORDÃO, DEPUTADOS DERRUBAM VETO E IMPEDEM A PRIVATIZAÇÃO DA CEDAE

    Um acordo entre governo e oposição permtiu que a Assembléia Legslativa derrubasse hoje o veto do Governador Luiz Fernando Pezão à emenda que anulava o processo de privatização da Cedae. A esmagadora maioria votou à favor da derrubada do veto com o compromisso do Governo de obter uma liminar que invalide a lei aprovada. Aparentemente contraditória, a estratégia visa a deixar a Cedae permanecer com o Estado sem o risco de o Governo sair do Regime de Recuperação Fiscal.Foram 44 votos favoráveis à derrubada do veto e um contrário, além de oito abstenções.

  • CÂMARA DO RIO PÕE FIM À BOA VIDA DA FETRANSPOR: ÔNIBUS VOLTAM A PAGAR ISS

    A Câmara de Vereadores do Rio aprovou, na tarde desta quarta-feira, o fim da isenção de ISS para empresas de ônibus. Desde 2011, durante a gestão de Eduardo Paes, as empresas pagam, simbolicamente, uma alíquota mínima de 0,01%. Com a alteração, a alíquota passará a ser de 2%. O PL nº 101/2017, de autoria da bancada do PSOL, foi aprovado por unanimidade e terá que ser sancionado pelo prefeito. Por meio de sua assessoria, Crivella informou que ainda irá analisar o projeto para decidir.

  • TRF-2 aumenta a pena de Cabral e reduz a de Adriana

    Na condenação dada pelo juiz Marcelo Bretas, o ex-governador recebeu pena de 45 anos e 2 meses de prisão por organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Agora, ficou em 45 anos e 9 meses. A de Adriana, que era de 18 anos e 3 meses por organização criminosa e lavagem de dinheiro, ficou em 12 anos e 11 meses. Com a decisão do TRF-2, as condenações de Cabral somam 198 anos e 6 meses. Como houve divergência na dosimetria das penas entre os desembargadores, Adriana e Cabral podem recorrer para o caso ser julgado pela 1ª Seção Especializada do tribunal, que tem seis desembargadores.

  • BRETAS DETERMINA LEILÃO DO SUPER IATE DE EIKE BATISTA

    Um iate do empresário Eike Batista será leiloado no próximo dia 13 de dezembro, às 13h, na sede da Justiça Federal do Rio. O lance mínimo é de R$ 18 milhões . A ordem para que a embarcação fosse a leilão foi o juiz Marcelo Bretas, responsável por julgar os casos da Lava-Jato no Rio. Em julho deste ano, o magistrado condenou o empresário a 30 anos de prisão e ao pagamento de uma multa de R$ 53 milhões.

  • Veto à venda da Cedae derruba sessão na Alerj mais uma vez

    Mais uma vez, deputados favoráveis à rejeição do veto à emenda que proíbe a venda Cedae conseguiram obstruir a sessão: quando os votos foram contabilizados pelo presidente, André Ceciliano (PT), apenas 22 tinham se posicionado, com três favoráveis, três contrários e 16 abstenções.

  • Promotores fazem vistoria na cela de Pezão

    Promotores da auditoria da Justiça Militar realizaram, na manhã desta terça-feira, uma vistoria nas celas de Luiz Fernando Pezão, e do ex-procurador-geral de Justiça Claudio Lopes no Batalhão Especial Prisional (BEP), no Fonseca, Zona Norte de Niterói. Nada de irregular foi encontrado.

  • TRF REJEITA EMBARGOS E MANTÉM CONDENAÇÃO DE ANTHONY GAROTINHO

    O ex-governador do Rio Anthony Garotinho, condenado em segunda instância a quatro anos e meio de prisão por formação de quadrilha, teve a condenação mantida nesta terça-feira (4) em decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2).

  • MESA DA ALERJ ACEITA PEDIDO DO PSOL DE IMPEACHMENT DE PEZÃO

    A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Rio decidiu, na tarde desta terça-feira, que vai dar provimento ao recurso do Psol pedindo o impeachment do governador preso Luiz Fernando Pezão (MDB). O partido alegou gestão pública temerária no controle do Orçamento, que resultou em uma grave crise econômica, além do descumprimento de decisões judiciais pelo chefe do Executivo.

  • SITUAÇÃO DE MOREIRA COMEÇA A SE COMPLICAR NA JUSTIÇA FEDERAL

    Em artigo hoje em O GLOBO,o colunista Bernardo Mello Franco mostra que, com a proximidade do fim do governo, começa a se complicar na Justiça a situação do ex-governador do Rio, atual ministro Moreira Franco.Para a procuradora geral Raquel Dodge, Moreira forjou a licitação da reforma do Galeão ao exigir pagamentos para favorecer a Odebrechet. Sem a blindagem do foro privilegiado, o processo tende a correr em velocidade supersônica.

  • CABRAL COMEÇA A SER JULGADO EM SEGUNDA INSTÂNCIA NO TRF DO RIO

    A segunda instância da Justiça Federal no Rio vai analisar nesta terça-feira e quarta-feira a primeira condenação do ex-governador Sérgio Cabral na Lava-Jato do Rio. Trata-se da pena, estabelecida pelo juiz Marcelo Bretas , de 45 anos e dois meses que o emedebista recebeu no processo da Operação Calicute. Essa é a segunda maior pena de Cabral. A mais alta – de 47 anos e 4 meses – veio num processo em que ele foi acusado de receber propina da empreiteira Carioca Engenharia.

  • ESTÃO CRIMINALIZANDO A POLÍTICA

    É inegável que o saldo das operações contra a corrupção no Rio é positivo e tem contribuído para oxigenar práticas e métodos no serviço público. Nem por isto os excessos não devem ser denunciados, debatidos e postos à luz. Não se pode confundir a cobrança de respeito às normas constitucionais com leniência ou tolerância com práticas criminosas.

  • De olho na prefeitura, Wladimir quer tirar Campos da crise

    Em entrevista ao Jogo do Poder, domingo passado, o mais novo representante do clã dos Garotinho no mundo político, o deputado federal eleito Wladimir, afirma que pretende dedicar seu mandado à tarefa de reerguer a economia de Campos, onde obteve a maioria dos seus 38 mil votos.

  • Juiz de São João de Meriti é condenado por improbidade

  • Vitória de Santa Cruz deve opor OAB a autoritarismo de Bolsonaro

  • "Fora Bolsonaro é bobagem", afirma Quaquá em entrevista à Veja

    Em entrevista ao site da revista Veja neste semana, o presidente do PT do Rio, Washigton Quaquá defende a tese de que a direção nacional do partido deve pedir desculpas aos brasileiros por seus erros. A saber: a escolha de Dilma para suceder Lula, o fim das alianças com forças políticas de centro e os desvios éticos, por ele definido como rendição às regras do jogo eleitoral. Quaquá considera também o ¨Fora Bolsonaro uma bobagem". Para ele, a principal tarefa do PT neste momento é lutar pelos preceitos da democracia liberal e a defesa dos direitos fundamentais.

  • Estão banalizando a prisão sem provas

    É possível que o governador Pezão esteja envolvido em algum esquema de corrupção, como argumentam os integrantes do Ministério Público. Mas, até o momento, o fato objetivo é: a 30 dias do fim de seu mandato, o governador foi retirado do Palácio Laranjeiras por forças policiais federais e preso sem qualquer prova

  • Faltam R$ 800 milhões para o 13º, afirma Dornelles

    O governador do Rio em exercício, Francisco Dornelles (PP), afirmou que os servidores do estado não receberão o 13º salário antes de 10 de dezembro. Segundo ele, o motivo é que ainda faltam pelo menos R$ 800 milhões em caixa para completar a folha de um total de R$ 2 bilhões.A informação é de Cassio Bruno, de O Dia.

  • Ex-prefeito de Silva Jardim e presidente da Câmara são presos por corrupção

    Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atribuição Originária Criminal da Procuradoria-Geral de Justiça (Gaocrim/MPRJ), e a Polícia Civil, por meio da Delegacia Fazendária, prenderam, na manhã desta sexta-feira, o ex-prefeito de Silva Jardim, Wanderson Gimenes Alexandre, que foi eleito este ano como deputado estadual. Também foi preso o presidente da Câmara de Vereadores do município, Roni Luiz Pereira da Silva.

  • A 30 dias do fim do mandato, Pezão é preso na operação Lava Jato

    A ação da Lava-Jato que prendeu Luiz Fernando Pezão na manhã desta quinta-feira, na residência oficial do chefe do Executivo, foi agilizada a pedido da Polícia Federal, com aval da Procuradoria Geral da República (PGR), para preservar a coleta de provas. A força-tarefa entendeu que a prisão do sucessor de Sérgio Cabral antes de terminar o seu mandato era fundamental para que os documentos a ser recolhidos não fosssem dispersados e a recuperação de valores prejudicada. Além do mais, havia o temor que, sem foro privilegiado, Pezão pedisse que a investigação recomeçasse do zero.

  • Calmo, governador tomou café antes de ser conduzido

    O governador Luiz Fernando Pezão estava calmo no momento da prisão , no início da manhã desta quinta-feira. Quatro procuradores da República, delegados e agentes da PF cumpriram o mandado de prisão no Palácio Laranjeiras, na Zona Sul do Rio. Ao governador, foi permitido que tomasse café antes de sair

  • Dornelles se exercitava quando soube da ação da PF

    O vice-governador Francisco Dornelles (PP), de 83 anos, estava fazendo seus exercícios matinais quando foi surpreendido com a notícia da prisão do governador Luiz Fernando Pezão (MDB). Ministro nas gestões de José Sarney e Fernando Henrique Cardoso, Dornelles terá pela frente a missão de conduzir o governo estadual pelos próximos 32 dias que restam até o fim do ano. Procurado, ele disse ao GLOBO que, por ora, prefere não comentar a prisão de Pezão e a tarefa que terá pela frente:

  • Raquel Dodge afirma que lavagem de dinheiro continuava

    A procuradora-geral da República Raquel Dodge afirmou, em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, que a prisão preventiva do governador do Rio de Janeiro Luiz Fernando Pezão e mais oito pessoas foi requerida à Justiça porque um esquema criminoso liderado pelo chefe do executivo estava em curso.

  • André Ceciliano: Alerj doará R$ 100 mihões ao Governo do Estado para pagamento do 13º salário

    Presidente em exercício da Assembleia Legislativa, André Ceciliano (PT) anunciou que a Alerj doará R$ 100 milhões ao governo estadual para ajudar no pagamento do décimo terceiro salário. Segundo ele, os repasses serão feitos entre os dias 10 e 15 de dezembro. "Além desse reforço, a Alerj também se empenhou em economizar. Deixamos de receber R$ 258 milhões de duodécimos (repasses do governo estadual) a que teríamos direito este ano." A informação é de Paulo Cappelli, de O Globo.

  • Manobra da oposição impede análise da privatização da Cedae

    Uma manobra da oposição impediu hoje na Alerj a análise do veto do governador Luiz Fernando Pezão ao projeto que proíbe a privatização da Cedae. Em uma sessão tensa, os deputados adiaram, por falta de quórum, a votação da emenda que suspende o aval a privatização da Cedae. Foram sete votos favoráveis a derrubada, dois contrários e 15 abstenções. Como a sessão não obteve os 36 votos necessários para ser considerada válida, ele foi encerrada.

  • Witzel define secretários de mobilidade, cultura, infraestrutura e cidades

  • Flávio Bolsonaro afirma que intervenção federal não continuará em 2019

    O senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, afirmou que a intervenção no Rio não continuará em 2019 e defendeu uma prorrogação da operação de Garantia de Lei e Ordem (GLO) para as Forças Armadas. Flávio Bolsonaro ressaltou que estava dando sua opinião como senador eleito ao falar da prorrogação da GLO.

  • Crivella pode ser multado se favorecer grupos religiosos

    Marcelo Crivella conseguiu atenuar a ação em que é réu por improbidade administrativa, aberta após o escândalo do "fala com a Márcia". Os desembargadores da 25ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro excluíram a possibilidade de Crivella perder o cargo de prefeito, prevista no caso de um novo favorecimento de grupos religiosos pela prefeitura. A informação é de Lauro Jardim, de O GLOBO.

  • Witzel vai pedir a Bolsonaro que União pague dívida com Cedae

    O governador eleito Wilson Witzel vai reivindicar ao presidente eleito Jair Bolsonaro e ao futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, o pagamento da dívida que a União tem com a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae). Com isso , ele pretende arrecadar, caso seja atendido, R$ 5 bilhões, valor acima dos R$ 3,5 bilhões estimados com a possível venda da companhia, uma garantia prevista no Regime de Recuperação Fiscal.

  • A iníqua impugnação de Quaquá

    A decisão do TSE de impugnar definitivamente a candidatura a deputado federal, de Washington Quaquá, anulando seus 74 mil votos, trouxe estupefação e revela de modo inequívoco o canhestro método utilizado por setores do Judicário para interferir no processo político. O ex-prefeito de Maricá não foi condenado por ato de corrupção tampouco por enriquecimento ilícito ou esperteza assemelhada. A condenação decorre do fato de ter concedido gratificações a servidores municipais, com base numa legislação de seu antecessor, considerada agora ilegal pelos tribunais.

  • TSE confirma impugnação de Quaquá

    O TSE confirmou agora à noite, por unanimidade, a decisão do TRE do Rio que havia cassado a candidatura a deputado federal do ex-prefeito de Maricá, Washington Quaquá . Assim, os 74 mil votos obtidos por Quaqua estão definitivamente anulados e não haverá mudança na composição da bancada federal do Rio. Quaquá havia sido o mais votado do PT. O ex-prefeito de Maricá foi condenado por ter concedido gratificações irregulares aos servidores, com base numa legislação de seu antecessor.

  • Danilo Gentili condenado por ofender Marcelo Freixo

    O apresentador e humorista Danilo Gentili foi condenado a pagar uma indenização de R$ 10 mil por danos morais ao deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ). A sentença foi determinada pela juíza Rafaella Avila de Souza Tuffy Felippe, da 50ª Vara Cível, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

  • Caciques do PMDB prestam depoimento na PF

    Os três principais líderes do PMDB, presos na operação Furna da Onça, estão prestaram depoimento hoje na Polícia Federal.Edson Albertassi e Paulo Melo chegaram à sede da PF, na Praça Mauá, Zona Portuária do Rio, por volta das 11h10 desta terça-feira, para prestar depoimento.

  • Governador eleito contempla aliados de Garotinho no Governo

    O governador eleito, Wilson Witzel, tem dado mostras de aproximação política com o ex-governador Anthony Garotinho. Semana passada, recebeu no gabinete de transição o deputado federal eleito Wladimir Garotinho, filho do ex-governador. Witzel também convidou Cleiton Rodrigues, ex-coordenador de campanha de Garotinho (PRP) nas eleições de 2014 e 2018, para ser seu chefe de gabinete. Na costura da aproximação está o presidente do PSC, pastor Everaldo.

  • Pedido de impeachment de Pezão se arrasta na Alerj

    Um pedido de impeachment contra o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), e contra o vice, Francisco Dornelles (PP), se arrasta há um ano e oito meses sem ser votado pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Em setembro de 2018, a Justiça do Rio determinou que o pedido fosse julgado pela Mesa Diretora da Assembleia, o que não ocorreu — nem mesmo dois meses após a determinação judicial.

  • MP consegue afastar o ex-prefeito Neto da Fazenda

    O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania da Capital, obteve na Justiça decisão favorável à ação civil pública ajuizada em 23 de julho deste ano, com pedido de liminar requerendo o afastamento de Antonio Francisco Neto, ex-prefeito de Volta Redonda, do cargo em comissão de assessor, símbolo DAS-8, do gabinete do secretário da Secretaria de Estado de Fazenda e Planejamento do Estado (SEFAZ-RJ).

  • MP entra com ação contra Pezão por irregularidades no Maracanâ

    O MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) ajuizou, nesta segunda-feira (26), uma ação civil pública contra o governador do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, por ato de improbidade administrativa nas obras do Maracanã. A promotoria também pediu à Justiça o bloqueio de R$ 8,9 milhões das contas pessoais de Pezão.

  • Governador eleito anuncia novos secretários

    O governador eleito do Rio, Wilson Witzel (PSC), anunciou, nesta segunda-feira, três novos titulares que irão fazer parte da estrutura do futuro governo do Estado. O anúncio foi feito durante reunião com representantes das universidade públicas do Rio, entre eles os reitores da Uerj, Ruy Garcia Marques; da UENF, Luis Passoni; da UniRio, Luiz Pedro San Gil Jutuca; o vice-diretor da UFF, Fávio Barboza Passos; a pró-reitora de extensão da UFRJ, Maria Malta; e a pró-reitora de pesquisa da Uezo, Maria Cristina Assis.

  • Roberto Jefferson é réu por formação de quadrilha no MT

    A juíza federal substituta Pollyanna Kelly, da 12ª Vara Federal de Brasília, aceitou nesta segunda-feira denúncia movida pelo Ministério Público Federal (MPF) sobre a existência de uma organização criminosa no Ministério do Trabalho , descoberta na Operação Registro Espúrio , e tornou réus o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB) e outros 19 acusados de envolvimento no caso, dentre eles o ex-ministro Helton Yomura (PTB) e o ex-secretário-executivo do ministério Leonardo Arantes , sobrinho do deputado Jovair Arantes (PTB-GO).

  • Leonardo Picciani é autuado em blitz da Lei Seca

    Ex-ministro do Esporte, o deputado federal pelo Rio de Janeiro Leonardo Picciani, foi autuado por dirigir sob a influência de álcool após ser parado em uma blitz da Operação Lei Seca na noite deste domingo na Avenida Ayrton Senna, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. O deputado ficará com o direito de dirigir suspenso por um ano

  • TRIBUNAL MANTÉM CLAUDIO LOPES PRESO E DETERMINA SEQUESTRO DE SEUS BENS

    Os desembargadores do Órgão Especial do Tribunal de Justiça acabam de decidir, por maioria de votos, manter preso Claudio Lopes, primeiro ex-procurador-geral de Justiça a ir para a cadeia. Os magistrados determinaram ainda o sequestro de R$ 7,2 milhões e a quebra do sigilo bancário de Lopes e da mulher dele, Ana Beatriz. Ele foi preso dia 8 e está na Unidade Prisional da PM, em Niterói, conhecida como BEP. Lopes é acusado pelo Ministério Público de integrar esquema de corrupção montado pelo ex-governador Sérgio Cabral para não investigar os aliados do então dono do Palácio Guanabara, como o ex-secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes.

  • O Globo e a denúncia contra Renan

    Nem de longe pretendo fazer aqui a defesa do senador Renan Calheiros, mas a matéria publicada hoje pelo GLOBO lançando suspeitas de que ele seria beneficiário de propinas depositadas numa conta da Suíça é fraca, capenga e desmerecedora de qualquer crédito.O dinheiro foi parar numa conta supostamente controlada pelo empresário Walter Faria, dono da Cervejaria Itaipava, que nega qualquer vinculo com a operação. Além disto, não há uma informação concreta: nenhum vínculo comprobatório de que Renan de fato era dono da mufunfa. Apenas ilações de um delegado, lançadas às vésperas das eleições para a presidência do Senado, onde Renan Calheiros surge como forte candidato.

  • MPF questiona Paes e Crivella por irregularidades na Olimpíada

  • AGU apóia ação de Pezão contra reajuste do Judiciário concedido pela Alerj

    A Advocacia-Geral da União (AGU) encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF), neste fim de semana, manifestação pela procedência da ação de inconstitucionalidade ajuizada pelo governo do Rio de Janeiro contra as recentes leis estaduais que concederam aumento a três categorias.De iniciativa da Assembleia Legislativa, a norma prevê reajuste de 5% aos servidores Tribunal de Justiça, do Ministério Público e da Defensoria Pública fluminenses, a partir de 1º de setembro.

  • Crivella quer devolver 24 unidades de saúde para o Governo Federal

    A falta de consenso entre a Prefeitura do Rio e o governo federal para garantir o atendimento de saúde aos cariocas fez o prefeito Marcelo Crivella entrar na Justiça para devolver 24 unidades muncipalizadas há mais de 13 anos, mas a Justiça Federal negou um pedido de liminar no fim da tarde desta sexta-feira. A ação civil pública, movida pelo município na quinta-feira, ressalta que o objetivo é evitar a ruptura na prestação dos serviços de hospitais, clínicas municipais de saúde e policlínicas que saíram da gestão da União entre 1994 e 2005.

  • Composição da Alerj deve mudar com validação dos votos de Bomtempo

    Uma decisão proferida pelo ministro Edson Fachin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pode afetar a composição da Assembleia Legislativa do Rio anunciada após o primeiro turno das eleições.Na quinta-feira (22), o ministro reverteu uma decisão do TRE e deferiu a candidatura do ex-prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo (PSB).

  • Ex-governadora Rosinha é condenada por ofensas contra desembargador Zveiter

    A ex-governadora do Rio, Rosinha Garotinho (Patriota), foi condenada por injúria contra o desembargador Luiz Zveiter, ex-presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ). A decisão é de primeira instância e cabe recurso.

  • Leonardo Picciani é reeleito presidente do PMDB-RJ

  • Conselho de ética vai investigar deputados presos pela Lava Jato

    A reunião do Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Rio, que permitiu a presença da imprensa e acabou sendo transmitida pela TV Alerj acolheu as duas representações do PSOL para investigar os dez deputados envolvidos na Lava-Jato.

  • RODRIGO AMORIM ADMITE CANDIDATURA À PREFEITURA DO RIO E AFIRMA QUE PACHECO VENCE NA ALERJ

    Em entrevista ao Jogo do Poder que vai ar hoje, às 23h15m, o deputado estadual eleito do PSL, Rodrigo Amorim, admitiu que será candidato do partido à prefeitura do Rio em 2020 e garantiu que o nome de Márcio Pacheco já tem apoios suficientes para vencer a disputa péla presidência da Alerj. Segundo ele, além dos 13 integrantes da bancada bolsonarista, todos os deputados que apoiavam Andre Correa, preso na operação Lava Jato, já se manifestaram a favor de Pacheco.

  • Rodrigo Amorin admite candidatura à prefeitura do Rio e afirma que Pacheco vai vencer na Alerj

  • Tia Ju mantém candidatura e ameaça unidade do PSL

    Em entrevista ao Jogo do Poder,, a deputada estadual Tia Ju (PRB) garantiu que não vai retirar sua candidatura à presidência da Alerj, a despeito de o PSL ter lançado o deputado Márcio Pacheco (PSC) para disputar o cargo.

  • Alerj vai definir destino da Cedae na próxima quarta-feira

    A presidência da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) confirmou que a avaliação do veto do governador Luiz Fernando Pezão à suspensão da autorização para a privatização da Cedae será na próxima quarta-feira, dia 28 de novembro. A emenda integrou o projeto de lei que implementou o refinanciamento de dívidas sobre o ICMS.

  • CARLOS BOLSONARO ROMPE COM BEBIANO E VOLTA À CÂMARA DO RIO

    Considerado o responsável pela campanha de Jair Bolsonaro nas redes sociais, Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente eleito, anunciou que deixou a equipe de transição. A decisão ocorreu após uma desavença com o futuro titular da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebiano. Vereador licenciado da Câmara Municipal do Rio, Carlos era cotado para assumir a Secretaria de Comunicação da Presidência. O rompimento definitivo de Carlos com Bebiano se deu após a confirmação do nome do vice-presidente do PSL na Secretaria Geral , a quem Comunicação Social estará subordinada.

  • Secretário de São Paulo vai comandar finanças do Rio

    O governador eleito Wilson Witzel anunciou mais quatro secretários que vão compor sua administração. Ele convidou o atual secretário de Fazenda de São Paulo, Luiz Claudio Rodrigues de Carvalho, para comandar as finanças do Rio de Janeiro. O ex-juiz também confirmou o diretor do Pedro Ernesto, Edmar dos Santos, para a Secretaria de Saúde; a jornalista Fabiana Bentes para a Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos; e a bióloga Ana Lúcia Santoro para a Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade. Fabiana e Ana Lúcia são as primeiras mulheres anunciadas para ocupar pastas no governo. Durante a campanha, o ex-juiz federal chegou a dizer que metade de seu governo seria composto por mulheres.

  • Witzel quer que Forças Armadas continuem no Rio

    O governador eleito do Rio, Wilson Witzel, confirmou nesta quinta-feira que pretende pedir ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, a prorrogação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) para manter o efetivo das Forças Armadas no Rio ao longo dos primeiros meses de 2019. Caso receba uma negativa, Witzel disse que reforçará o patrulhamento por meio do Regime Adicional de Serviço (RAS):

  • PSL decide apoiar Márcio Pacheco para presidência da Alerj

    Partido com mais deputados estaduais da próxima legislatura, com 13 parlamentares, o PSL de Jair Bolsonaro decidiu nesta quarta-feira apoiar Márcio Pacheco (PSC) para a presidência da Assembleia Legislativa (Alerj). A legenda chegou a ensaiar uma candidatura própria, mas por orientação de Flávio Bolsonaro, presidente do PSL no estado, acabou optando pelo apoio a Pacheco, que integra o PSC do governador eleito do Rio, Wilson Witzel. A informação é Paulo Cappelli, de O Globo.

  • POLÊMICA: GENERAL CRITICA PLANO DE WITZEL DE ACABAR COM SECRETARIA DE SEGURANÇA

    Secretário de Segurança desde o início da intervenção federal no Rio, o general Richard Nunes disse nesta quarta-feira (21), em entrevista à GloboNews, que é contra a extinção da Secretaria de Segurança (Seseg). A medida já foi anunciada pelo governador eleito, Wilson Witzel, que criou as secretarias de polícias Civil e Militar, forças que atualmente são subordinadas à Seseg.

  • Mansão de Cabral em Mangaratiba foi presente de Georges Sadala

    O operador financeiro do ex-governador Sérgio Cabral (MDB) , Carlos Miranda, foi ouvido nesta quarta-feira (21) na Justiça Federal na Operação C'Est Fini.Foi a primeira vez em que Miranda prestou depoimento desde que passou à prisão domiciliar. Ele afirmou que a mansão em Mangaratiba da família de Cabral foi comprada, na verdade, pelo empresário Georges Sadala. Segundo o depoimento, Sadala teria transferido o imóvel para o nome da ex-primeira dama Adriana Ancelmo, que se encantou com a casa ao conhecê-la, antes de registrá-lo para si.

  • Equipe de Witzel critica reforma de Pezão

    O desejo do governador Luiz Fernando Pezão de alterar o modelo atual da Previdência de mais de 180 mil servidores estaduais ativos não foi negociado com os integrantes da transição para o futuro governo de Wilson Witzel. A informação é de Nelson Lima Neto, de O Globo. A ideia de criar um fundo de capitalização para absorver os servidores mais antigos, que ingressaram no serviço público antes de setembro de 2013, não é vista com bons olhos pelos futuros gestores. Esse sistema de capitalização seria composto por contribuições de funcionários ativos, receitas futuras (dívidas da União), pendências quitadas por contribuintes e recursos provenientes de vendas de imóveis.

  • Witzel janta com Dom Orani para se aproximar da Igreja católica

    O governador eleito Wilson Witzel (PSC) jantou na segunda-feira com o Cardeal do Rio, dom Orani Tempesta, no Palácio São Joaquim, residência oficial do líder católico. Dom Orani convocou bispos da Arquidiocese e da Diocese de Nova Iguaçu para o encontro. A informação é de paulo Cappelli, de O Globo.

  • Após um ano, Alerj examina cassação de deputados presos

    Um ano após a prisão dos parlamentares,, o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) marcou para amanha, sexta-feira, sessão para analisar o pedido de cassação do presidente afastado Jorge Picciani (MDB), do seu antecessor no cargo Paulo Melo (MDB) e o então líder do governo Edson Albertassi (MDB).

  • Investigações sobre patrimônio de Romário não avançam

  • Entrevista de André Ceciliano

  • Desconforto com manutenção do comandante dos bombeiros

    A decisão do governador eleito do Rio, Wilson Witzel (PSC), de manter o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Roberto Robadey, no cargo está causando desconforto dentro da corporação.

  • PF INVESTIGA EXISTÊNCIA DE SERVIDORES FANTASMAS NA ALERJ

    O Ministério Público Federal e a Polícia Federal intensificram nos últimos dias as investigações sobre a existência de funcionários fantasmas em gabinetes e em cargos da direção da Alerj.É provável qiue haja operações com este objetivo nos próximos dias. Segundo Adriana Cruz, de O Dia, o caminho das pedras começou a ser traçado com as planilhas e anotações à mão de funcionários da TV Alerj apreendidas na casa de Shirlei Aparecida Martins Silva, exonerada por causa da operação Funa da Onça.

  • Sequestro relâmpago dispara no Rio durante intervenção

    Um dos tipos mais comuns de sequestro-relâmpago cresceu 21% no Rio de Janeiro nos primeiros dez meses deste ano, apesar de a segurança pública do estado estar sob intervenção federal desde fevereiro. A informação é da coluna Radar, de Veja.

  • Pezão e Witzel, preocupados com a possibilidade de Alerj impedir a privatização da Cedae

  • Moro participa de debate no Rio na sexta

    Futuro ministro da Justiça, Sergio Moro participará de um painel no Rio de Janeiro, na sexta-feira (23), cujo tema será “A repressão aos crimes de corrupção e a recuperação de ativos”. Do mesmo painel participarão o juiz da Lava Jato no Rio de Janeiro, Marcelo Bretas, e o superintendente da Polícia Federal no estado, Ricardo Saadi.

  • Chiquinho afirma que propina era para a Verde e Rosa

    O deputado estadual Chiquinho da Mangueira (PSC-RJ) confirmou à Polícia Federal que recebeu dinheiro vivo de Sérgio de Castro Oliveira, o Serjão, apontado como operador do “mensalinho” atribuído ao ex-governador Sérgio Cabral (MDB).Preso desde o início de novembro, quando foi realizada a Operação Furna da Onça, o parlamentar negou que repasse fosse uma mesada. Ele afirmou que o dinheiro seria destinado a Mangueira, que estaria passando por dificuldades financeiras.

  • Carlos Miranda, o delator de Cabral, deixa o presídio

    O operador financeiro da organização criminosa comandada pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral (MDB), Carlos Miranda, já deixou o presídio de Benfica.Ele foi preso há dois anos e segue para prisão domiciliar após ter a delação premiada homologada em dezembro do ano passado. A saída era esperada pelos advogados desde a sexta-feira, mas problemas com a documentação atrasaram a soltura.

  • TCE reprova contas de Waguinho

    O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) reprovou as contas do prefeito de Belford Roxo, Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho (MDB), referentes a 2017. Os técnicos encontraram cinco irregularidades, a maioria relacionada a contribuições de servidores públicos.A informação é Cassio Bruno, de O Dia

  • Com saída dos cubanos, 770 mil pacientes serão afetados no Rio

  • MP pede sequestro de bens de Cláudio Lopes

    O Ministério Público do Rio de Janeiro pediu para que a Justiça torne indisponível e "sequestre" R$ 7,2 milhões em bens do ex-procurador de Justiça Cláudio Soares Lopes. A quantia, de acordo com o MP-RJ, é referente ao valor de propina recebida por Lopes durante o período em que chefiou a instituição entre março de 2009 a dezembro 2012.Segundo as investigações do MP, Cláudio Soares Lopes foi cooptado pelo grupo do então governador Sérgio Cabral. Do grupo, o ex-procurador teria recebido, mensalmente, R$ 150 mil para inibir investigações e repassar informações privilegiadas sobre investigações.

  • Ceciliano quer reduzir cargos e dar maior transparência à Alerj

    Redução em 30% no número de cargos comissionados, aprofundar a informatização e a criação de um mecanismo que permita a apresentação de iniciativas populares estão entre os carros-chefe da Carta Compromisso que o deputado André Ceciliano, candidato à reeleição para a Presidência da Alerj apresentará publicamente na primeira quinzena de dezembro. A informação é de Jan Theóphilo, do Jornal do Brasil, que participou da entrevista com o deputado petista a ser exibida domingo, às 23h15, no Jogo do Poder, na rede CNT.

  • Governador eleito quer prorrogar recuperação fiscal até 2023

  • Além do Detran, propinolândia envolvia TV Alerj, Leão XIII, Fia e Faetec

  • Bancada do PSF racha e deputado já faz críticas a Witzel

    Em meio à montagem de seu secretariado, o governador eleito Wilson Witzel (PSC) já enfrenta uma crise na própria base. O PSL do futuro presidente da República, Jair Bolsonaro, partido que, em tese, será seu principal aliado na próxima legislatura da Assembleia Legislativa (Alerj), com 13 integrantes, rachou. O deputado estadual eleito Renato Zaca publicou, em grupos de WhatsApp, pesadas críticas ao ex-juiz federal. A informação é de Paulo Cappelli e Luis Ernesto Magalhães, de O Globo.

  • Os predicados de Ceciliano

    Mais do que uma reunião protocolar, na qual via de regra platitudes e salamaleques preenchem a pauta, o encontro entre o governador eleito Wilson Witzel e o presidente da Alerj, André Ceciliano, produziu resultados objetivos alvissareiros. De imediato, contribuiu para que fosse firmado tacitamente um pacto pela governabilidade. . Há também que se registrar uma inevitável consequência colateral : o governador eleito se convenceu do decisivo papel de Ceciliano na construção de maiorias no parlamento. E isto pode ajudá-lo a remover resistências e ampliar as chances de permanecer à frente da Casa no próximo biênio.

  • Lopes comprou casa ao lado da mansão de Cabral no PortoBello

    Um mês antes do início da contagem regressiva para o seu desaparecimento, a “República de Mangaratiba” recebeu o último “sócio”. As investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro sobre o suposto enriquecimento ilícito de Cláudio Lopes, ex-procurador-geral de Justiça do Estado que se encontra preso desde o dia 8 , revelaram que ele comprou, em maio de 2016, um imóvel no Condomínio Portobello, vizinho à mansão do então governador Sergio Cabral.

  • Witzel defende abertura de capital da Cedae

  • TRF mantém presos deputados alvos da operação Furna da Onça

    A 1ª Seção do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) decidiu, nesta quarta-feira, por unanimidade, manter presos nove deputados alvos da operação "Furna da Onça". O único que ganhou a liberdade, mas com medidas restritivas, foi o parlamentar Marcelo Simão (PP). Ele deixou a cadeia nesta terça-feira.

  • BILHETES MOSTRAM PAULO MELO DESTRUINDO PROVAS

    Bilhetes apreendidos pela Polícia Federal indicam que o deputado afastado Paulo Melo, do MDB, mandava assessores destruírem provas contra ele e outros envolvidos no esquema desviou milhões dos cofres públicos.As anotações foram encontradas na casa de uma assessora de Paulo Melo. Nos bilhetes, tinha uma lista de coisas a fazer, uma espécie de "manual de como apagar vestígios de corrupção".

  • Propina de Cláudio Lopes chegou a R$ 7,2 milhões

  • Justiça Federal mantém presos deputados da Furna da Onça

    O desembargador Abel Gomes, relator da operação Furna da Onça, prorrogou em caráter preventivo a prisão dos deputados estaduais envolvidos no chamada “Propinolândia” da Alerj. Eles estavam presos temporariamente e o prazo se esgotou no primeiro minuto de hoje. Continuam detidos 14 investigados na Operação Furna da Onça, desdobramento da Lava Jato no Rio deflagrada no último dia 8. A ação prendeu 22 pessoas na investigação do 'mensalinho' da Alerj.

  • MP pede prisão preventiva dos deputados da "Furna da Onça"

    O Ministério Público Federal (MPF) entrou no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) com pedido de prisão preventiva de 15 investigados na Operação Furna da Onça, deflagrada no última quinta-feira. O pedido do órgão abrangeu todos os dez deputados presos e se pautou pela necessidade de preservar a aplicação da lei penal. Os promotores suspeitam de um possível vazamento e as prisões garantiriam a preservação da ordem pública, considerando os graves crimes praticados e as tentativas de destruir provas. A Corte tem até 0h para decidir se aceita o pedido. Em caso negativo, os parlamentares poderão ser soltos.

  • Urgente : Wagner Montes acaba de sofrer infarto durante voo

    O deputado federal eleito Wagner Montes (PRB-RJ) está internado em Foz do Iguaçu, no Paraná. Ele passou mal logo após embarcar num voo para o Rio de Janeiro. Segundo sua assessoria, foi constatado que sua pressão estava alta. Retirado da aeronave e levado para um hospital, foi diagnosticada infecção urinária.

  • Prisões de deputados dificultam quorum na Assembléia

    Com a prisão temporária de mais sete deputados, o número máximo de parlamentares nas próximas sessões da Alerj não tem mais como ultrapassar 60 — dez a menos do que o total eleito.Isso significa que o presidente da Casa, André Ceciliano, terá uma dificuldade ainda maior para conseguir quórum e fechar a pauta do ano, que só termina com o Orçamento de 2019. A informação é de Berenice Seara, de O Extra.

  • PSL pode apoiar um dos três: Dauaire, Tia Ju ou Pacheco

    Eleito em outubro o deputado estadual mais votado do Rio, Rodrigo Amorim (PSL) diz que seu mentor, Flávio Bolsonaro, recomenda cautela ao partido, que estuda candidatura própria à presidência da Alerj. Bruno Dauaire (PRP), Márcio Pacheco (PSC) ou Tia Ju (PRB) podem receber o apoio do PSL. Amorin concedeu entrevista a Paulo Cappelli, de O Dia

  • Deputados fizeram indicações para o Detran em 20 cidades

    Os dez deputados presos na quinta-feira na Operação Furna da Onça, acusados de terem recebido propina em troca de apoio ao governo, lotearam postos do Detran em 20 municípios do Estado do Rio, incluindo a capital, segundo as investigações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal. Nessas cidades, ficam 139 unidades onde são feitos serviços de habilitação, identificação civil e vistoria. O número representa 32% de um total de 434 postos.

  • Com apoio do PSL, Tia Ju lança candidatura à presidência da Alerj

    Um dia após a bancada do PSL decidir que só apoiará a candidatura à presidência de um parlamentar que não tenha aprovado as contas do governador Pezão, a deputada Tia Ju (PRB) anunciou que na próxima semana vai se lançar oficialmente à disputa do cargo. Segundo ela, que na verdade não compareceu na votação das contas do governador, os novos tempos da polpitica exigem uma candidatura desvinculada dos esquemas de poder que controlavam a Alerj nos últimos anos.

  • PSL vai apoiar somente quem votou contra Pezão

  • Abrahão nomeou amante para cargo de comisssão

    A investigação da Operação Furna da Onça, que prendeu dez deputados estaduais acusados de integrar um esquema de compra de votos na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), na última quinta-feira, aponta que o deputado estadual reeleito Marcos Abrahão (Avante) nomeou sua amante para um cargo de comissão na Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), vinculada à Secretaria estadual de Ciência e Tecnologia do Rio. O nome da amante não foi divulgado na petição do Ministério Público Federal (MPF).

  • entrevista Marcelo Crivella

  • Freixo e Flávio Bolsonaro trocam farpas em redes sociais

  • Conheca o valor da propina de cada deputado

  • Parlamentares presos tiveram boa votação na última eleição

    Os mandados de prisão cumpridos pela Polícia Federal nesta quinta atingiram 10 deputados estaduais do Rio. Destes, sete disputaram a reeleição no último pleito, excetuando apenas Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Melo , presos desde o ano passado. Cinco foram reeleitos, e dois ficaram como suplentes. .Todos os políticos tiveram votações expressivas na última eleição. Dentre os concorrentes à Alerj, André Corrêa (DEM) teve o melhor número, sendo o sétimo mais votado. Os dois que não conseguiram se reeleger, Coronel Jairo (Solidariedade) e Marcelo Simão (PP) terminaram como suplentes.

  • Flávio Bolsonaro retira apoio da bancada do PSL a Andre Correia

    Após a prisão de André Corrêa (DEM), o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) disse há pouco que seu partido poderá lançar candidatura própria à presidência da Alerj.Confira abaixo a nota oficial assinada por Flávio, presidente estadual do PSL no Rio de Janeiro: "A bancada do PSL na Alerj vinha debatendo apoiar a candidatura de André Corrêa (DEM) para a presidência da Casa, até então o nome mais viável para derrotar a chapa composta por PT e MDB. O mesmo encontrava-se no exercício do seu mandato e a bancada do PSL desconhecia os fatos revelados nesta quinta-feira (8), em operação deflagrada pela Polícia Federal.

  • Deputados presos não perdem seus mandatos já

  • Corrupção leva à prisão 10 deputados estaduais. O primeiro a ser preso foi André Correa

    O esquema de lavagem de dinheiro, loteamento de cargos públicos e mão de obra terceirizada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) movimentou ao menos R$ 54 milhões, de acordo com Ricardo Saadi, superintendente da Polícia Federal. Até o momento, a PF cumpriu, 20 de 22 mandados de prisão - dez dos quais, contra deputados estaduais, cinco deles reeleitos este ano.A Operação Furna da Onça foi deflagrada, na manhã desta quinta-feira, investiga um suposto "mensalinho" na Casa. Os valores chegavam a R$ 900 mil, segundo os investigadores. Entre os presos estão: Coronel Jairo (MDB), Luiz Martins (PDT), Marcelo Simão (PP), Marcos Vinícios “Neskau” (PTB), André Corrêa (DEM), Marcos Abrahão (Avante) e Chiquinho da Mangueira (PSC).Também foi alvo da operação o secretário estadual de Governo, Affonso Monnerat, apontado como o canal entre Alerj e Palácio Guanabara.

  • Witzel e Dória discutem projetos para segurança e turismo

    Os governadores eleitos do Rio e de São Paulo, Wilson Witzel e João Doria, almoçaram no Hotel Palácio Tangará, na Zona Sul da capital paulista, neste sábado. Entre os temas tratados estava a criação de um marco regulatório para parcerias público-privadas semelhantes entre Rio e São Paulo com o objetivo de tentar reduzir as demandas judiciais. Eles também conversaram sobre uma proposta para estimular o turismo conjunto entre os dois estados que deve ser apresentada ao presidente eleito, Jair Bolsonaro. Doria articula uma reunião entre os governadores eleitos e o novo presidente ainda neste mês.

  • Crivella pode ir à Justiça para devolver hospitais ao Governo do Estado

    Em entrevista ao Jogo do Poder, que vai ar no próximo domingo, o prefeito Marcelo Crivella afimrou que pode impetrar ação judicial para devolver ao Governo do Estado a gestão dos hospitais Alberto Schweitzer e Rocha Faria, caso o governador eleito Wilson Witzel não tome a iniciativa espontaneamente logo ao tomar posse. O prefeito alega descumprimento de cláusulas do acordo, entre as quais o repasse de R$ 50 milhões ao município. As unidades hospitalares foram municipalizadas pelo ex-prefeito Eduardo Paes, em 2016, no momento mais grave da crise fiscal do Governo do Estado e custam ao município cerca de R$ 400 milhões/ano.

  • Witzel quer snipers para abater criminosos com fuzil

    Eleito governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, do PSC, afirmou em entrevista ao programa Estúdio I, da GloboNews, nesta terça-feira (30), ter solicitado levantamento de quantos "snipers" – atiradores de elite – existem em unidades especiais das polícias Militar e Civil. Witzel, que é ex-juiz federal e foi eleito para o Palácio Guanabara com quase 60% dos votos válidos, também anunciou que irá pedir ao governo federal a manutenção de decreto de Garantia da Lei e da Ordem por mais dez meses.

  • Marcio Pacheco será o líder do Governo na Alerj

    O deputado Márcio Pacheco (PSC) será o líder do governo de Wilson Witzel, do mesmo partido, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). O nome do parlamentar foi citado em reunião que Witzel teve no início da tarde desta quarta-feira com o governador Luiz Fernando Pezão e integrantes do Executivo para discutir a transição.

  • Pezão: "Quero dar um abraço em Cabral"

    A menos de três meses de deixar o cargo, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), confessa que gostaria de "dar um abraço" no ex-governador Sérgio Cabral, companheiro de partido e de grupo político que cumpre pena por condenações da Lava Jato.Pezão admite que seu antecessor teve "falhas" e não nega que ele tenha cometido crimes, mas se recusa a atribuir a crise do Rio ao saque dos cofres do Estado promovido pela suposta quadrilha que teria sido chefiada por seu padrinho político. Pezão reconhece que Cabral mostrava um padrão de vida "elevado", mas afirma que a crise do Rio teve outras causas.

  • Pezão: "Quero dar um abraço em Cabral"

    A menos de três meses de deixar o cargo, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), confessa que gostaria de "dar um abraço" no ex-governador Sérgio Cabral, companheiro de partido e de grupo político que cumpre pena por condenações da Lava Jato.Pezão admite que seu antecessor teve "falhas" e não nega que ele tenha cometido crimes, mas se recusa a atribuir a crise do Rio ao saque dos cofres do Estado promovido pela suposta quadrilha que teria sido chefiada por seu padrinho político. Pezão reconhece que Cabral mostrava um padrão de vida "elevado", mas afirma que a crise do Rio teve outras causas.

  • witzel anuncia 4 mil novos policiais em janeiro

    Eleito com quase 60% dos votos, o novo governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), em entrevista exclusiva ao DIA, anunciou que já em janeiro convocará de três mil a quatro mil policiais militares aprovados em concurso público. Segundo ele, o efetivo será usado para reforçar o policiamento ostensivo nas ruas.

  • Presidência da Alerj será primeiro teste da base governista

  • Se confirmada, eleição da Quaquá retira Clarissa da Câmara dos Deputados

    A validação dos votos do presidente do PT, Washington Quaquá, a ser decidida nesta semana pelo ministro Og Fernandes doTSE poderá excluir Clarissa Garotinho da Câmara dos Deputados. Com 74 125 votos, Quaquá teve o registro de sua candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral por cinco a um. Concorreu autorizado por liminar do TSE, que nos próximos dias julga o caso em caráter definitivo.

  • Transição: equipe de Witzel vai ocupar um andar no Guanabara

  • Witzel pode aumentar idade mínima para aposentadoria

  • Márcio Pacheco diz ter apoio de Witzel para disputar presidência

    Em entrevista a Paulo Cappelli de O Dia, o deputado estadual Márcio Pacheco (PSC) diz contar com o apoio do futuro governador para presidir a Assembleia Legislativa a partir de fevereiro. "Muitas reformas precisam ser feitas, mas não vamos mexer na Previdência", afirma. A minha candidatura visa apresentar a Alerj como ponto de apoio para dar governabilidade para o estado, para esse novo governo que precisa montar a sua base. Tenho conversado com o governador Witzel. Muitas reformas precisam ser feitas", acrescenta.

  • Ceciliano e Correa afirmam ter maioria dos votos na Alerj

    Para presidir a futura Assembleia Legislativa, dois “Andrés” vêm correndo de forma obstinada atrás de votos: Ceciliano, que está interinamente à frente da Casa desde a prisão dos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi (os três do MDB); e Correa, que foi secretário do Ambiente de Luiz Fernando Pezão e líder do governo de Sérgio Cabral. Ambos dizer ter maioria dos votos. Mas os dois podem ganhar companhia no páreo. O deputado Márcio Pacheco (PSC) ensaia uma candidatura. E, apesar de muitos dos eleitos pelo PSL terem dito que o assunto só entraria na pauta do partido após o segundo turno das eleições, já há quem aponte um nome.

  • Pezão confessa desejo de dar um abraço em Cabral

    A menos de três meses de deixar o cargo, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), confessa que gostaria de "dar um abraço" no ex-governador Sérgio Cabral, companheiro de partido e de grupo político que cumpre pena por condenações da Lava Jato.Pezão admite que seu antecessor teve "falhas" e não nega que ele tenha cometido crimes, mas se recusa a atribuir a crise do Rio ao saque dos cofres do Estado promovido pela suposta quadrilha que teria sido chefiada por seu padrinho político. Pezão reconhece que Cabral mostrava um padrão de vida "elevado", mas afirma que a crise do Rio teve outras causas.

  • No Jogo do Poder, Witzel nega que vá privatizar a Cedae

    Em entrevista ao programa Jogo do Poder, que vai ao ar pela rede CNT, o candidato do PSC ao Governo do Rio, Wilson Witzel descartou a possibilidade de privatizar a Cedae. Disse que a empresa é lucrativa e que não vê motivos para o Estado entrega-la à iniciativa privada. Witzel também negou a intenção de privatizar as universidades públicas – Uerj, Uenf e Uezo

  • Pedro Fernandes apóia Witzel mas PDT vai de Paes

    Quinto colocado do primeiro turno da corrida ao governo do Rio, com 6,11% dos votos válidos (cerca de 466 mil votos), Pedro Fernandes (PDT) roubou a cena nesta segunda-feira. O deputado estadual acompanhou um corpo a corpo do candidato Wilson Witzel (PSC), na feira da Rua Aguiar, na Tijuca, Zona Norte da capital, e declarou apoio ao ex-juiz, que disputa com Eduardo Paes (DEM) o comando do Palácio Guanabara pelos próximos quatro anos.Já o PDT, seu partido, decidiu em sentido contrário: vai apoiar Eduardo Paes.

  • Jacques Wagner negocia frente democrática com FH, Ciro e Marina

    Jaques Wagner era o preferido de Lula para concorrer ao Planalto. Recusou a tarefa, elegeu-se senador pela Bahia e agora desembarcou em São Paulo para ajudar Fernando Haddad. O ex-ministro tenta costurar uma “frente democrática” contra o bolsonarismo. Quer unir Ciro Gomes, Marina Silva e Fernando Henrique Cardoso no palanque do PT. “Temos que procurar todos os que estão na política e têm responsabilidade com o país”, diz. Wagner faz elogios a FH, que já descartou a hipótese de apoiar o capitão. “A construção do país é tijolo por tijolo, ninguém faz nada sozinho. O Fernando deu uma bela contribuição ao Brasil. Nós aprendemos a responsabilidade fiscal com ele”, afaga. “É uma coincidência negativa da História que, em vez de ficarem juntos, PT e PSDB tenham polarizado um com o outro. Foram as melhores forças que surgiram no período democrático”.

  • Jacques Wagner negocia frente democrática com FH, Ciro e Marina

    Jaques Wagner era o preferido de Lula para concorrer ao Planalto. Recusou a tarefa, elegeu-se senador pela Bahia e agora desembarcou em São Paulo para ajudar Fernando Haddad. O ex-ministro tenta costurar uma “frente democrática” contra o bolsonarismo. Quer unir Ciro Gomes, Marina Silva e Fernando Henrique Cardoso no palanque do PT. “Temos que procurar todos os que estão na política e têm responsabilidade com o país”, diz. Wagner faz elogios a FH, que já descartou a hipótese de apoiar o capitão. “A construção do país é tijolo por tijolo, ninguém faz nada sozinho. O Fernando deu uma bela contribuição ao Brasil. Nós aprendemos a responsabilidade fiscal com ele”, afaga. “É uma coincidência negativa da História que, em vez de ficarem juntos, PT e PSDB tenham polarizado um com o outro. Foram as melhores forças que surgiram no período democrático”.

  • Video numero um do Youtube