16/06/2019 05:33

A decisão do governador de São Paulo, João Dória, de entregar o comando do PSDB do Rio ao empresário Paulo Marinho já deflagrou uma crise no partido. Filiado há 26 anos na legenda e com cinco mandatos, o deputado estadual Luiz Paulo da Rocha anunciou hoje a formação de um núcleo de resistência às mudanças determinadas pelo direção nacional. Na última quinta-feira, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, comunicou aos dirigentes fluminenses a decisão de dissolver o Diretório Regional para entregar o comando a Paulo Marinho. Eleito há um mês, o diretório atual é presidido pelo prefeito de Mesquita, Jorge Miranda.

Opinião - Ricardo Bruno

Ricarod Bruno

CPI DA UERJ, DESNECESSÁRIA E INOPORTUNA

Após a turbulência dos escândalos e prisões de gestões anteriores, a Assembleia Legislativa iniciou um período virtuoso com a presidência de André Ceciliano. Contestado inicialmente por preconceitos a sua filiação partidária, Ceciliano superou o confronto ideológico e se impôs como um presidente moderado, aberto ao diálogo, e com capacidade para ajudar na construção de uma base de apoios que garanta a governabilidade de Wilson Witzel.

Ricardo Bruno entrevista
 

Dória dá a Paulo Marinho a tarefa de reconstruir o PSDB no Rio

Em jantar ontem em sua residência no Jardim Botânico, o empresário Paulo Marinho recebeu do governador de São Paulo, João Dória, a tarefa de reconstruir o PSDB no Rio, onde historicamente os tucanos são frágeis eleitoralmente. Nem mesmo durante os oito anos do governo de Fernando Henrique Cardoso, o PSDB fluminense exibiu algum vigor. A única exceção foi durante a gestão de Marcelo Alencar no Governo do Estado, quando poder e cargos na estrutura administrativa fizeram robustecer a plumagem tucana no estado.

Paulo Marinho oferece hoje, no Rio, jantar ao governador João Dória

O empresário Paulo Marinho oferece hoje jantar ao governador de São Paulo, João Dória, (PSDB), em sua casa no Jardim Botânico. Jornalistas e personalidades da política e da sociedade carioca estão na lista de convidados.

Graciosa tenta se desfazer de fortuna com doações ao Vaticano

Um depósito de mais de R$ 3 milhões feito para o Vaticano foi uma das provas que mais pesaram contra o conselheiro do Tribunal de Contas (TCE-RJ) do Rio de Janeiro José Gomes Graciosa. Nesta quinta (13), o Superior Tribunal de Justiça transformou Graciosa e mais quatro conselheiros afastados do TCE-RJ em réus pelos crimes de corrupção e lavagem. A informação é de Bela Megale, de O GLOBO.

Zeidan propõe medalha de honra a Greenwald

Após o ministro da Justiça, Sergio Moro, receber o aval do plenário da Assembleia Legislativa do Rio para ser condecorado com a Medalha Tiradentes, maior honraria da Casa, uma deputada do PT quer conceder a mesma homenagem a Gleen Greenwald, jornalista que divulgou a troca de mensagens envolvendo o ex-juiz da Lava-Jato. A petista Rosangêla Zeidan conseguiu 11 assinaturas, das dez necessárias, para que a proposta seja submetida ao plenário da Alerj. A informação é de Paulo Cappelli.

DEPUTADO DO PSL DO RIO FAZ AMEAÇAS A GREENWALD

Em postagem no twitter, o deputado federal Carlos Jordy, do PSL do Rio, fez ameaças ao jornalista Glenn Greenwald, editor responsável do Intercept, onde foram publicados diálogos comprometedores entre o ex-juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Delagnol. “Senhor @ggreenwald não pense que você é um imortal acima do bem e do mal. Você praticou ativismo jornalístico através de um ato criminoso, o que faz cúmplice”.

STJ acolhe por unanimidade denúncia contra membros do TCE

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu, por unanimidade, nesta quinta-feira (13), a denúncia contra cinco conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE/RJ) por organização criminosa, corrupção e lavagem de dinheiro. O colegiado também votou no sentido que os conselheiros permaneçam afastados de suas funções até que seja encerrada a ação penal. Em março de 2018, Aloysio Neves Guedes, Domingos Inácio Brazão, José Gomes Graciosa, José Maurício de Lima Nolasco e Marco Antonio Barbosa de Alencar foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por integrarem um grande esquema criminoso de solicitação e recebimento de propina, instalado no órgão público entre 1999 e 2016. O grupo, também composto por servidores, era especializado em desviar valores de contratos firmados com o Estado do Rio de Janeiro e que, em tese, deveriam ser fiscalizados pela Corte de Contas.

TJ nega redução da pena de Sérgio Cabral

O Tribunal de Justiça do Estado (TJRJ) negou um pedido da defesa de Sérgio Cabral para reduzir a pena do ex-governador. As condenações de Cabral somam 198 anos. A solicitação da defesa de Cabral, preso desde novembro de 2016, é referente a três cursos à distância: Espanhol, Jardinagem e paisagismo e Agropecuária. Eles já totalizam 1030 horas, o que seria equivalente a 88 dias de pena.

Justiça quer anulação imediata de nomeação de Pezão na Agetransp

O governo do Rio ainda não suspendeu a nomeação de José Fernando Moraes Alves, que ocupa o cargo de conselheiro da Agetransp — ele foi nomeado em 22 de maio do ano passado pelo ex-governador Luiz Fernando Pezão. Delegado aposentado da Polícia Civil e ex-vereador pelo MDB, Fernando Moraes, como é conhecido, seria uma indicação do partido. Atualmente, Moraes acumula a função de vice-presidente da agência reguladora.

Últimas

  • Festa em Maricá: 205 anos

    Maricá está em festa para comemorar seus 205 anos de emancipação político administrativa do município. O evento é organizado pela Secretaria de Turismo que preparou uma programação com muitas atrações para moradores e visitantes nos dias 24, 25 e 26/05 com shows de primeira linha e diferentes estilos musicais na Praça Orlando de Barros Pimentel (Centro). São eles: Gabriela Rocha, Davi Sacer, Banda Sinfônica Ambulante, Jota Quest e Felipe Araújo.

  • Quaquá conta em livro os 10 anos do PT à frente de Maricá

    O ex-prefeito Washington Quaquá (PT) vai lançar no próximo dia 26, aniversário de 205 anos de Maricá, seu novo livro, contando a história dos 10 anos do Partido dos Trabalhadores à frente de Maricá, sendo oito sob seu comando e os dois primeiros anos do atual prefeito Fabiano Horta.

  • MP quer impedir Cabral de escrever em O Dia

    O Ministério Público do Rio de Janeiro, responsável por fiscalizar a execução penal de Sergio Cabral, vai pedir à Justiça que impeça o ex-governador de escrever semanalmente para o jornal O Dia, conforme ele fez esta semana.